Prefeitura deve manter congelamento dos salários de servidores em 2021

  • Jamile Diniz

Pelo segundo ano consecutivo, os servidores públicos de Bauru não terão reajustes em seus salários. Além disso, os rendimentos dos trabalhadores devem enfrentar também um aumento de 3% na contribuição do regime da previdência.

A questão foi debatida durante uma reunião na última quinta-feira (24), entre a prefeita Suéllen Rosim e o Sinserm. O secretário de Finanças, Everton Basílio, já havia adiantado em uma audiência pública que não havia previsão de reajuste orçamentário em 2021 e a administração municipal deve manter esta programação.

Basílio diz que o atual cenário de arrecadação é delicado, visto que não há ainda indicações de que o governo federal vá injetar recursos extraordinários para ajudar os municípios a enfrentarem a pandemia. Ainda segundo o secretário, se não fosse por esse auxílio, Bauru teria gasto 51,18% da receita líquida da cidade com salários.

Até a próxima quarta-feira (03), Suéllen deve responder oficialmente ao Sinserm sobre as cláusulas econômicas da pauta, apenas um dia antes da assembleia dos servidores, previamente convocada. A pauta pede 4,65% de revisão nos salários. Os servidores alegam que a proibição estabelecida federalmente sobre o aumento de gastos com pessoal até dezembro deste ano não restringe a inflação anual.

Revisado por Alexandre Pittoli.