Hospital das Clínicas: Governo do Estado e Famesp renovam convênio até março de 2021

  • Jamile Diniz

O convênio entre a Famesp e a Secretaria de Estado de Saúde para manter o Hospital das Clínicas (HC) aberto deve ser prolongado até março de 2021. A ação ocorre em um momento de aumento de casos de Covid-19, doença que fez com que a instituição fosse inaugurada como hospital de campanha em julho deste ano. A prorrogação, porém, ainda não foi formalizada.

Conforme informado pela Jovem Pan News, a estrutura da unidade está pronta desde 2012, mas só em julho de 2020 foi inaugurado às pressas para servir de retaguarda ao Hospital Estadual. A medida, de caráter provisório, tinha prazo máximo definido para o dia 31 de dezembro, quando o hospital voltaria a fechar as portas.

Com a possibilidade do fechamento, entidades e presentantes da sociedade civil se organizaram para pedir a abertura integral e definitiva do Hospital das Clínicas.

Um dos movimentos responsáveis por chamar a atenção para o fato foi "O HC não pode morrer", composto por estudantes de medicina do campus de Bauru da USP. O grupo conseguiu mais de 30 mil assinaturas em um abaixo-assinado pela causa e organizou manifestações pela cidade.

Leonardo Resende, porta-voz do movimento, conta que os estudantes também buscaram apoio de vereadores e conseguiram articular uma reunião para discutir o assunto.

Na última quinta-feira (09), a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Bauru realizou a reunião com intuito de debater ações que podem garantir a abertura total do HC. Presidido pela vereadora Telma Gobbi (PP), a reunião contou com a presença do prefeito Clodoaldo Gazzetta, representantes da Famesp, a Promotoria de Justiça da Saúde Pública de Bauru, a Associação Paulista de Medicina (APM) e a coordenação do Curso de Medicina da USP de Bauru.

O encontro reforçou a relevância do Hospital das Clínicas para sanar o déficit de leitos públicos na região, entretanto, não foram tomadas medidas práticas. Já a prorrogação do convênio entre a Famesp e a Secretaria de Estado de Saúde, é vantajosa para o enfrentamento da Covid-19, mas ainda não representa o atendimento das demandas de abertura integral do HC.