Estudantes de medicina da USP se mobilizam pela abertura do Hospital das Clínicas

  • Jamile Diniz

Um grupo formado por estudantes do curso de medicina do campus de Bauru da Universidade de São Paulo (USP) se mobilizou pela abertura definitiva e com atendimento de todas as especialidades do Hospital das Clínicas. A campanha, chamada "O HC não pode morrer", também recebeu apoio de outros setores da sociedade.

Entenda o caso:

Criado com o intuito de atender a necessidade de leitos especializados na região, o Hospital das Clínicas nunca chegou a entrar em funcionamento de fato. Sua estrutura física foi finalizada em 2012 e, desde então, a promessa de iniciar suas atividades vem sendo feita pelo Governo do Estado e por mais de um prefeito.

Em 2020, em meio à pandemia de Covid-19 e com o Hospital Estadual sobrecarregado, o HC passou a ser utilizado como hospital de campanha com 40 leitos de enfermaria. A inauguração aconteceu após convênio do Governo do Estado com a Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) e tinha como prazo de término o dia 02 de outubro, posteriormente prorrogado até dia 31 de dezembro.

Em 08 de outubro, o governador do estado de São Paulo João Dória esteve em Bauru e afirmou que o Hospital das Clínicas se manteria aberto definitivamente e atendendo as demais especialidades, mesmo com o fim da pandemia. Entretanto, como noticiado pela JPNB em 23 de novembro, funcionários do Hospital das Clínicas já estavam recebendo aviso prévio da rescisão do contrato de trabalho, o que corroborava com a ideia de que o atual convênio não seria renovado e a promessa feita por João Dória não seria cumprida.

Com isso, estudantes de medicina do campus de Bauru da USP passaram a se organizar para manter o hospital aberto na campanha "O HC não pode morrer". Em entrevista à Jovem Pan, Leonardo Resende, porta-voz do grupo, explica a necessidade: "Há uma carência crônica de leitos, pacientes morrendo em filas de espera da UPA e isso é inadmissível". As instalações do HC contam com quase 200 leitos que atenderiam às necessidades da região de saúde de Bauru.

Os futuros médicos também lutam para que o acordo de cooperação técnica entre o governo do estado e a USP seja assinado. O acordo está em análise na Secretaria Estadual de Saúde desde outubro de 2019 e poderia formalizar a cooperação entre as duas entidades. Assim, a universidade poderia transferir a propriedade para o Estado, que teria condições de instalar o HC no local de forma definitiva.

Para apoiar a causa, é possível assinar o abaixo-assinado e seguir o grupo no Instagram na conta @defesahcbauru.