Secretaria de Saúde esclarece como comprovar doenças crônicas para receber vacina contra influenza

  • Lucca Willians

Na segunda fase da vacinação contra influenza, iniciada na última quinta-feira (16), teve início a imunização a portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais. A Secretaria de Saúde informa que está aceitando para comprovação de doenças crônicas a receita legível do medicamento de uso contínuo com nome do paciente ou a carta médica, deste ano ou do ano passado.

Se o paciente for usuário da unidade básica de saúde, já possui um prontuário na unidade que consta o uso do medicamento contínuo, podendo tomar a vacina contra influenza. Ou se tomou a vacina contra influenza nos anos anteriores também poderá apresentar a carteirinha de vacinação.

As pessoas que passaram por cirurgias como bariátrica e câncer, podem apresentar a carta do procedimento fornecido pelo médico. E os portadores de doenças imunossupressivas como o HIV já possuem cadastro comprovatório no Centro de Referência em Molésticas Infecciosas – CRMI.

A Secretaria de Saúde informa que houve falta de vacina nos postos de saúde antes do feriado prolongado, mas até esta quarta-feira (22), as doses já foram repostas em todas as unidades. Diferente da campanha domiciliar de vacinação aos idosos, estas categorias deverão ir até o posto de saúde para receber as doses contra influenza. Vale ressaltar que as unidades referenciadas de atendimento ao Covid-19 não estarão aplicando as doses. São elas: Unidades Básicas de Saúde da Vila Falcão, Bela Vista, Núcleo Geisel e Mary Dota.