Projeto bauruense, 'SUS VIVO' desenvolve protetores faciais para regiões do Brasil

  • Lucca Willians

Com a chegada do novo coronavírus ao Brasil e diante da vulnerabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS), um grupo de voluntários mobilizou forças para fabricar protetores faciais e enviar à equipes médicas e demais profissionais de saúde por todo o país. O SUS VIVO é fruto da parceria entre artistas, universidades públicas e 3D makers independentes 

Segundo os integrantes do grupo, a etapa inicial do projeto contou com meios de produção próprios – como impressoras 3D. Entretanto, com o avanço do vírus e a escassez dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) fornecidos pelo sistema de saúde, o SUS VIVO formou uma cadeia de divulgação e arrecadou doações que permitiram ao grupo seguir em frente com o propósito do projeto: ajudar a proteger o maior número de vidas possível.


Colaboração

Hoje, a produção de hastes dos protetores saltou de 120 para 4.320 unidades por dia. O aumento significativo no desenvolvimento das peças foi possível graças ao apoio espontâneo das pessoas e à campanha de financiamento coletivo que o grupo iniciou na internet. A partir da arrecadação, eles investiram em máquinas injetoras e facas de corte em série. De acordo com informações da plataforma, a cada R$ 1.000,00 arrecadados é possível produzir 500 protetores. "Queremos chegar ainda mais longe, em regiões onde ninguém chega", pontuam.


Futuro do projeto

As condições de entrega a nível nacional já foram criadas. O projeto busca agora, suporte para adquirir matéria prima e viabilizar a produção industrial em larga escala. "Acreditamos, mais do que nunca, que a batalha está em nossas mãos e que unir forças é a única possibilidade para diminuir o impacto e passar por esta crise sanitária", diz o grupo.

Atualmente o SUS VIVO atende os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Piauí e tem entrega agendada para Manaus: serão 1.200 protetores destinados à capital do Amazonas – uma das cidades mais atingidas pela pandemia.



Para colaborar com o projeto, acesse a vakinha e siga o perfil do SUS VIVO no instagram: @projetosusvivo