Plano SP define protocolos para setores produtivos segundo etapas de flexibilização

  • Lucca Willians

Documentos estabelecem diretrizes sanitárias e de fluxo de pessoas em estabelecimentos de comércios e serviços não essenciais

O Governo de São Paulo lançou nesta quarta-feira (27) os protocolos sanitários do Plano São Paulo para permitir a retomada de comércios e serviços não essenciais. As diretrizes vão regular o atendimento presencial e o fluxo de clientes, funcionários e colaboradores em 15 setores produtivos e seus respectivos subsetores.

As normas padronizam níveis de distanciamento social, higiene pessoal, limpeza e higienização de ambientes, comunicação e monitoramento das condições de saúde de trabalhadores e estão disponíveis no site https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/planosp.

Há diretrizes específicas para cada uma das quatro fases do Plano São Paulo que permitem a retomada gradual e segura da atividade econômica.

Os documentos disponibilizados pelo Estado deverão ser seguidos pelas Prefeituras para a formulação dos decretos municipais de flexibilização da quarentena, de acordo com a classificação prevista no Plano São Paulo para 17 regiões distintas a partir do dia 1º de junho.

O Governo de São Paulo estabeleceu um protocolo comum para os diferentes setores produtivos. Há ainda outros documentos com normas específicas os setores de academias; agricultura e agroindústria; atividades imobiliárias; automotivos; bares e restaurantes; beleza, comércio; economia criativa; infraestrutura; logística e abastecimento; meios de hospedagem; saúde; telecomunicações; têxtil, confecção e calçados; e turismo.

"O site dá acesso a todos os protocolos elaborados nos diálogos com setores econômicos, associações de classes e de funcionários e, principalmente, nossos prefeitos e prefeitas", afirmou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen. "A nossa retomada consciente é baseada na união, no respeito à vida e na ciência", acrescentou.