Etecs e Fatecs buscam doações para continuar ações solidárias

  • Lucca Willians

Unidades arrecadam dinheiro, acetato, tecido, elástico e outros insumos que viabilizem a fabricação de máscaras e produtos de limpeza

Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais de diferentes regiões do estado estão em busca de doações que permitam a continuidade das ações voluntárias de enfrentamento ao coronavírus. Desde o início da crise, as unidades têm se mobilizado para ajudar, de acordo com seus cursos e especialidades.

Professores e estudantes voluntários de diversas Etecs e Fatecs produziram até o momento mais de 6,3 mil máscaras de acetato, 9 mil de tecido e 1,3 mil toucas que foram doadas para hospitais regionais. As ações envolveram mais de 40 professores e funcionários e 90 alunos. A expectativa é que sejam produzidas pelo menos mais 15 mil máscaras de tecido e 4 mil de acetato nas próximas semanas.

Em Taubaté, por exemplo, a Fatec recebeu aporte de R$ 80 mil vindos da Procuradoria do Trabalho de São José dos Campos, sob a mediação do Ministério Público do Estado de São Paulo. Com isso, a unidade conseguiu aumentar a capacidade de fabricação. A verba possibilitou a entrega de cerda de 4 mil máscaras do modelo face shield.

Para a produção dos equipamentos de proteção individual (EPIs), as unidades precisam de plásticos, elásticos e tecidos, entre outros insumos.

Voluntários também fabricaram e distribuíram mais de 1,5 tonelada de álcool em gel e 1,6 mil litros de material de limpeza para hospitais, casas de repouso e entidades sociais. Estão sendo produzidos mais 800 quilos de álcool e 150 litros de sabão líquido para serem doados nos próximos dias.

Entre as unidades responsáveis pela produção, a Fatec Jaboticabal recebeu ajuda de diversas empresas: duas usinas sucroalcooleiras doaram insumos, uma fábrica de refrigerantes cedeu embalagens, uma gráfica foi responsável pelos rótulos e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) cuidou do transporte do material, encaminhado para as secretarias de saúde de Jaboticabal e da vizinha Guariba. A família de Nilo de Stéfani, patrono da unidade, financiou parte dos insumos.