Dados que determinam fases do Plano SP estão disponíveis online

  • Lucca Willians

Site com dados da Secretaria da Saúde e Ministério da Saúde permite consulta de índices que indicam etapas de retomada econômica por região

O Governo do Estado oferece de forma permanente uma base de dados que define os critérios de classificação nas fases do Plano São Paulo. A retomada consciente e segura da economia em 17 regiões de saúde do estado é determinada por dados que são atualizados diariamente e disponibilizados para consulta detalhada na internet.

O boletim completo do coronavírus (seade.gov.br/coronavirus/) reúne informações fornecidas pela Secretária de Saúde de São Paulo e Ministério da Saúde. Qualquer pessoa por consultar estatísticas sobre o avanço da pandemia, números de casos e mortes, taxas de internação em leitos de UTI e enfermaria exclusivos para COVID-19, além de dados demográficos e de isolamento social.

Confira o primeiro balanço de avaliações de taxas de capacidade hospitalar e avanço do contágio por coronavírus do Plano São Paulo

Os critérios que definem as cinco fases de restrições e permissões a atividades econômicas em São Paulo são: média da taxa de ocupação de leitos de tratamento intensivo para COVID-19; número de leitos UTI COVID-19 por 100 mil habitantes; e evolução semanal de casos confirmados, internações e mortes pela doença na comparação com a semana anterior.

Na segunda das duas páginas do boletim online, é possível checar os critérios detalhados por área de cobertura de DRSs (Departamentos Regionais de Saúde) e até mesmo de forma individualizada por município. No topo da página, há caixas de seleção que permitem a seleção dos dados de acordo com a base territorial escolhida.

De acordo com a opção escolhida, o sistema dá acesso a informações sobre número total de casos, número de casos por 100 mil habitantes, total de mortes, óbitos por cem mil habitantes e evoluções de casos e mortes por dia. Em outra caixa de selão, é possível consultar as taxas regionais e geral de ocupação de leitos de tratamento e intensivo e de enfermagem reservados a pacientes COVID-19.

Com as informações sobre saúde atualizadas diariamente, qualquer pessoa pode avaliar as tendências de evolução de cada região no Plano São Paulo. Se determinada região de saúde apontar dados sucessivos com viés de queda no avanço da COVID-19 e aumento na taxa de leitos disponíveis, a tendência será de progressão nas fases de reabertura econômica nas reavaliações a cada duas semanas.

Apesar de a base de dados ser ampla e transparente, o Governo de São Paulo procura formas de aumentar o detalhamento de estatísticas e, ao mesmo tempo, tornar o acesso ainda mais prático, fácil e intuitivo a qualquer cidadão. Há estudos para inclusão de indicadores como dados municipais de leitos disponíveis e total de vagas hospitalares COVID-19 a cada 100 mil habitantes.

Além das taxas e estatísticas consolidadas, o Estado também dá total transparência à metodologia de cálculo dos cinco critérios que definem as etapas do Plano São Paulo. No primeiro balanço parcial divulgado na última quarta-feira (3), um documento detalha os índices mínimos e máximos permitidos em cada critério para as cinco etapas.