Comissão de Saúde da Câmara pede ao MP providências por leitos de UTI e ativação do HC

  • Lucca Willians

Documento foi entregue ao promotor Enilson Komono nesta sexta-feira e aponta dificuldades na concretização de anúncios relacionados à retaguarda hospitalar para o enfrentamento à pandemia da Covid-19

A Comissão de Saúde da Câmara Municipal oficiou o Ministério Público (MP) solicitando a tomada de providências, dentro das prerrogativas legais, para garantir assistência médica adequada a pacientes de Bauru e das cidades que integram a região para qual o Hospital Estadual é referência no tratamento à COVID-19.

O pedido foi feito em razão das dificuldades para a concretização de ações anunciadas pelo Governo do Estado, no que se refere à aquisição de respiradores para a ampliação do número de leitos de UTI na unidade e à ativação de 40 leitos de retaguarda no Hospital das Clínicas (HC), ainda vinculado à USP.

“É importante ressaltarmos que o Hospital Estadual já atingiu taxa de ocupação de leitos de UTI a níveis preocupantes, o que aumenta ainda mais a preocupação e a necessidade de que atitudes sejam tomadas diante de um possível aumento do número de infectados caso ocorra a flexibilização do distanciamento social”, diz o documento, assinado pela presidente da comissão, vereadora Telma Gobbi (PP), e por seus membros, os parlamentares Coronel Meira (PSL) e Luiz Carlos Bastazini (PTB).

O documento é dirigido ao promotor de Justiça Enilson Komono, curador da Saúde do MP em Bauru, e que participou de reunião promovida pelo colegiado da Casa de Leis no último 30 de abril, quando, junto a vereadores e representantes da Secretaria Municipal de Saúde, Diretoria Regional de Saúde de Bauru (DRS-VI), Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar, foram discutidos o planejamento e as ações para o enfrentamento à pandemia.