Cohab ingressa com ação contra família Gasparini e Paulo Gobbi

  • Eden Duarte

O pedido de liminar abrange também a devolução imediata de mais de R$ 1,6 milhão, valor apreendido na casa do ex-presidente em dezembro do ano passado - (Foto: Luiz Pereira | Jovem Pan News Bauru)


A Companhia de Habitação Popular de Bauru (COHAB) ingressou no final da tarde da última quinta-feira (7) com Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa contra o  ex-presidente da companhia Edson Bastos Gasparini Junior, sua esposa e filha, bem como contra seu ex-diretor financeiro Paulo Sérgio Gobbi.

Na ação, que foi distribuída na 1ª Vara da Fazenda Pública de Bauru, a COHAB pede a devolução de R$ 116,4 milhões que é o valor atualizado relativo aos saques ocorridos mensalmente entre 2007 e 2019 que foram apurados na "Operação João de Barro” conduzida pelo GAEGO e deflagrada em dezembro de 2019.

A COHAB solicitou ao juízo que seja concedida liminar para que os bens em nome de Gasparini Junior, sua família e de Paulo Sérgio Gobbi, que foram sequestrados no processo aberto em razão da operação, sejam revertidos imediatamente em seu favor.

O pedido de liminar abrange também a devolução imediata do valor R$ 1.607.0000,00 que foi encontrado na casa do ex-presidente Edson Bastos Gasparini Junior, que no momento está depositado em conta judicial administrada pelo Gaeco que é órgão do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Pede também liminarmente que Gasparini Junior, sua família e Paulo Gobbi sejam impedidos de entrar nas dependências da Cohab-Bauru, exceto se houver ordem judicial autorizativa.

O processo foi enviado com urgência ao Ministério Público para que se manifeste acerca do pedido de liminar.