Ação irá coibir vendas com preços abusivos no comercio de Bauru

  • Lucca Willians

Nesta segunda-feira, 6, o Prefeito Gazzetta, os delegados da Delegacia de Polícia Seccional de Bauru, Ricardo Dias e o delegado assistente da Delegacia Seccional de Polícia de Bauru, Kléber Granja estiveram reunidos para tratar de ação visando coibir preços abusivos na cidade.

A partir dessa semana será iniciada uma operação de fiscalização nos estabelecimentos comerciais para coibir os preços abusivos de qualquer gênero, principalmente de gêneros como álcool em gel, máscaras, gás de cozinha, entre outros.

“É um gênero de primeira necessidade e não podemos permitir, que num momento como esse, pessoas inescrupulosas se aproveitem para aferir um lucro indevido, é inadmissível”, ressalta Dias.

Num primeiro momento será feito um trabalho de prevenção, a orientação e informação das regras do Código do Consumidor e das demais legislações, junto aos comerciantes e também das penalidades que podem ser aplicadas em caso de descumprimento da legislação.

“Essa ação vem no momento em que muitas pessoas perderam o emprego, estão tendo dificuldade de aquisição de consumo e quem tem seu comercio aberto deve entender que é possível ter seu lucro, mas dentro da aceitabilidade” informa Gazzetta.

Neste final de semana foram vistoriados, pelo Grupo de Operações Especiais, sete distribuidoras de gás de cozinha.

Esta nova etapa é mais ação do Comitê Intersetorial Covid-19, formado pela Prefeitura de Bauru, Ministério Público Estadual e Federal, Polícias Militar, Civil e Federal, Judiciário, que vem atuando de forma intersetorial em assuntos de segurança pública e interesse comum da população, durante o combate à pandemia Covic-19. Também participaram da reunião o Procon Estadual e Municipal, a secretária Letícia Kirchner, o secretário do Meio Ambiente, Airton Martinez, a gerente jurídica da Cohab, Andrea Salcedo, além de policiais envolvidos na ação.

O trabalho do grupo já está gerando resultados na questão de zelo urbano, no combate às fake news e da desordem pública.