Seis filmes para assistir durante a quarentena

  • Marina Moia

Com o surgimento do altamente contagioso coronavírus (COVID-19), uma das medidas de contenção da doença é o distanciamento social ou, como a maioria gosta de chamar, a quarentena. A indicação é que as pessoas saiam o mínimo possível de suas casas, principalmente se você faz parte do grupo de risco, como idosos, diabéticos e asmáticos.

Já que o final de semana está chegando e você não vai poder ir pra balada, tomar uma cerveja num barzinho e nem comer aquele rodízio de pizza, vou indicar alguns filmes disponíveis atualmente em plataformas de streaming e de aluguel para você ter entretenimento de sobra durante esse período em casa.

Garota Exemplar (Gone Girl, 2014) - Netflix

Dirigido por David Fincher, o filme Garota Exemplar é baseado na obra da autora Gillian Flynn, também responsável pelo roteiro do longa. Nele, acompanhamos a história de Amy Dunne (Rosamund Pike), esposa de Nick (Ben Affleck), que desaparece repentinamente e sem deixar muitos traços. O casamento está em crise e logo o marido se torna o principal suspeito do caso.

Com muitas reviravoltas, é um filme tenso e soturno, característico de Fincher, e que te deixa com dúvidas sobre a intenção dos personagens, sem saber o que realmente se passou até o momento da revelação. Por conta do roteiro ter sido escrito pela autora do livro, o filme é muito fiel às páginas e considero como uma das melhores adaptações que já assisti nas telas.

O Relatório (The Report, 2019) - Amazon Prime Video

Alguns longa metragens acabam passando despercebidos durante o ano de lançamento e O Relatório é um desses exemplos. O filme é baseado em fatos e mostra a investigação interna do agente Daniel J. Jones (Adam Driver) e da senadora Dianne Feinstein (Annette Bening) acerca do uso de tortura como meio de obter informações, método utilizado pela CIA após os acontecimentos de 11 de setembro de 2001.  O personagem interpretado por Driver passa quase uma década dedicado ao relatório, sem saber se poderia ser publicado ou não.

Para quem gosta de política, neste caso a americana, esse filme é um prato cheio. O roteirista e diretor Scott Z. Burns mostra detalhadamente todas as burocracias e obstáculos vividos por Daniel, numa obra que mesmo sem momentos extremamente dramáticos, acaba sendo informativa e bem importante para os dias de hoje.

Amor a Toda Prova (Crazy Stupid Love, 2011) - HBO GO

Passando agora para as comédias, temos a divertidíssima Amor a Toda Prova, que conta com elenco de peso como Steve Carell, Emma Stone, Ryan Gosling e Julianne Moore. O personagem Cal (Carell) é surpreendido com um pedido de divórcio da esposa (Moore) e acaba se vendo na posição de começar a sair e namorar de novo. Num bar, ele conhece Jacob (Gosling), que toma como missão transformar Cal num verdadeiro Don Juan.

A parceria entre os dois atores é fenomenal e é o que rende mais risadas durante o longa metragem, assim como a breve participação da atriz Marisa Tomei. Os toques de romance são protagonizados por Gosling e Stone, sempre com muita química como casal. Anos depois, eles seriam indicados ao Oscar por La La Land, em que atuam lado a lado novamente. Amor a Toda Prova é um daqueles filmes que sempre revejo quando tenho a oportunidade, principalmente quando preciso de algo leve e engraçado.

Bacurau (2019) - Telecine Play

Se teve algo que foi muito falado no ano de 2019, foi o filme Bacurau. Dirigido por Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, esta obra brasileira foi destaque internacional (ganhou prêmio no Festival de Cannes) e eu aconselho que você assista sem pesquisar nada mais aprofundado sobre o roteiro ou sinopse. O básico que você precisa saber é que acompanhamos Teresa, que volta para cidade natal Bacurau para o enterro da avó, e de repente começa a testemunhar eventos muito estranhos com os moradores.

Eu tive a oportunidade de assistir ao filme no cinema, sem ter visto sequer o trailer, e sai da sala completamente surpreendida com o que vi. Se você gosta de cinema, precisa valorizar os nosso produtos nacionais assistindo filmes como Bacurau, que inovou tanto na questão do roteiro, como no estilo de filmagem e de contar a história, que mistura a tecnologia com o sertão e com toques de violência a la Tarantino.

Jack Reacher: O Último Tiro (Jack Reacher, 2012) - Globoplay

Agora temos uma escolha para quem gosta de ação e tramas de investigação policial. Já aviso que sou suspeita porque gosto muito de quase todos os filmes estrelados por Tom Cruise e este não seria diferente. O ator interpreta o personagem que dá nome ao longa, ex-investigador militar que é chamado para resolver o caso de uma atirador de elite que matou cinco pessoas inocentes.

É claro que nada é fácil para Jack Reacher, que se encontra numa trama de conspiração e se torna alvo de criminosos, o que rende ótimas cenas de luta e confronto. Um pouco de Jason Bourne, um pouco de Missão Impossível, mas com um personagem novo e que não é de muitos sorrisos, num roteiro que não é tão frenético como os mais conhecidos de Cruise. Baseado nos livros de Lee Child, o filme ganhou uma sequência em 2016, chamada Sem Retorno.

Midsommar: O Mal Não Espera a Noite (Midsommar, 2019) - Google Play

Por último, temos um lançamento controverso do ano passado. O filme de terror psicológico Midsommar possui a inusitada característica de se passar apenas de dia, algo muito difícil de acontecer no gênero. Dirigido por Ari Aster, o longa mostra a história de Dani (Florence Pugh), mulher que passou por perdas trágicas e que decide viajar com o namorado Christian (Jack Reynor) e amigos para um festival na Suécia, para se divertir e espairecer.

Regado a drogas alucinógenas, rituais estranhos, comportamentos bizarros e violência, Midsommar é um filme de terror que engana a princípio por se passar num cenário tão claro, florido e com sorrisos, que escondem intenções malignas em sua maioria. A interpretação de Florence Pugh foi uma das grandes injustiçadas, na minha opinião, no período de premiação do ano passado.