Com Sesi Vôlei Bauru contra, clubes decidem pelo encerramento da Superliga Feminina sem campeão

  • Alex Silva

Foto: CBV

Em reunião realizada hoje (19) pela manhã, os clubes votaram pelo cancelamento da Superliga Feminina de Vôlei em virtude da COVID-19, o novo coronavírus. Foram sete votos favoráveis ao encerramento do campeonato contra dois votos favoráveis à espera de uma nova decisão no futuro. Dessa forma a competição termina com a classificação da primeira fase, mas não há campeão declarado.

Tiveram direito ao voto os oito clubes classificados para os playoffs mais a Comissão de Atletas. Votaram à favor do encerramento da Superliga nesse momento: Praia Clube-MG, Sesc-RJ, Osasco, São Paulo-Barueri, Fluminense, Curitiba e a Comissão de Atletas. As equipes que votaram contra foram Sesi Vôlei Bauru e Minas Tênis Clube. Flamengo e Pinheiros não tiveram direito ao voto pois não estavam classificados para os playoffs.

Na nota divulgada após o término da reunião, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), informou que apesar de manter a classificação da primeira fase, nenhuma equipe será declarada campeã. Dessa forma, a Superliga Feminina termina a temporada 2019/2020 com a seguinte classificação:

1º Dentil/Praia Clube (MG)
2º Sesc RJ,
3º Itambé/Minas (MG),
4º Sesi Vôlei Bauru (SP),
5º Osasco Audax São Cristóvão Saúde (SP),
6º São Paulo/Barueri (SP),
7º Fluminense (RJ),
8º Curitiba (PR),
9º Pinheiros (SP),
10º Flamengo (RJ),
11º Valinhos Vôlei (SP) e
12º São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP).

Sesi Vôlei Bauru votou contra encerramento por temer judicialização da vaga para o Sulamericano

Em contato com a reportagem da Jovem Pan News Bauru, o presidente da Associação Vôlei Bauru, Reinaldo Mandalitti, havia afirmado ontem de maneira enfática que era favorável ao cancelamento da Superliga nesse momento com o Praia Clube declarado campeão.

O fato de o clube bauruense ter votado contra o encerramento na reunião de hoje causou estranheza devido à isso. Porém procurada mais uma vez pela nossa reportagem, a diretoria do Sesi Vôlei Bauru justificou seu voto contra o encerramento, afirmando que teme a judicialização da vaga para o Sulamericano de Vôlei do ano que vem já que o Praia Clube não foi declarado campeão da edição 2019/2020.

Como a proposta colocada em discussão pelo encerramento sem um campeão declarado, a diretoria bauruense optou pela espera por uma nova decisão no futuro, porém foi voto vencido.

Somente a equipe campeã da Superliga conquista a vaga no Sulamericano de Vôlei. Até o momento não há uma posição oficial sobre quem será o representante do Brasil no Sulamericano de Vôlei em 2021, mas a tendência é que seja mesmo o Praia Clube por ter terminado a primeira fase como líder da Superliga Feminina.