São Paulo confirma primeira morte por coronavírus

  • Wellinton Barros

Outros quatro óbitos são investigados

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (17), o Secretário Estadual de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann confirmou o primeiro óbito por coronavírus no estado. Trata-se de um homem de 62 anos, da capital paulista.

Segundo informou o secretário, o paciente era diabético e cardiopata e teve o início dos sintomas apresentados no último dia 10 de março. O homem foi internado no dia 14 em um hospital privado e entrou em óbito nesta segunda-feira (16). A vítima não tem histórico de viagem para exterior. Além de uma morte confirmada pelo novo vírus, o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, informou que outras quatro mortes estão sendo investigadas na mesma rede hospitalar.

Segundo o último levantamento oficial do Ministério da Saúde, divulgado na última segunda-feira, o Estado de São Paulo tem 152 casos confirmados e outros 1.177 suspeitos. Novos dados devem ser divulgados ainda na tarde desta terça-feira.

Em Bauru não há casos confirmados

Até o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, Bauru contava com 11 casos suspeitos de coronavírus. Os pacientes aguardam resultados de exames enviados ao Instituto Adolfo Lutz. Como forma de enfrentamento à disseminação do vírus, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) publicou nesta terça-feira no Diário Oficial o decreto 14.656/20.

Pelo decreto, ficam afastados, temporariamente, sem prejuízo dos vencimentos os servidores com idade igual ou superior a 60 anos, considerados do grupo de vulneráveis, com exceção dos profissionais da área da saúde e daqueles que atuam em serviços considerados essenciais à população. O recesso escolar foi antecipado do mês de julho de 2020, e Secretaria Municipal da Educação avaliar a necessidade de manter equipe mínima para realização dos trabalhos nas Unidades Escolares. Servidores com filhos em idade escolar poderão antecipar férias e/ou licença prêmio para cuidar das crianças.

Com relação ao sistema de trabalho, os titulares de cada pasta da Administração Direta e aos dirigentes da Administração Indireta poderão adotar o teletrabalho, mantendo-se uma equipe mínima presencial em cada setor ou montar uma escala de seis horas diárias, sem compensação futura, desde que não prejudique o andamento do serviço.

O Decreto determina também o afastamento, como medida compulsória, pelo prazo de sete dias, os servidores assintomáticos que retornaram de viagens das áreas endêmicas e pelo período de 14 dias, os servidores que nessa situação apresentarem sintomas.

Já os atendimentos ao público em geral, deverão ser realizados, preferencialmente, via telefone ou e-mail. Caso isso não seja possível, a Prefeitura irá intensificar a higienização dos locais de atendimento. O acesso de terceiros em áreas internas dos prédios públicos municipais será restrito, com exceção dos locais de atendimentos essenciais e emergenciais.

A partir desta terça-feira (17) ficam suspensos, temporariamente, os eventos com aglomerações de pessoas, realizados pelo Município. Por outro lado, a Prefeitura recomenda às empresas privadas que estabeleçam medidas necessárias, visando evitar a disseminação da pandemia do Covid-19 entre seus funcionários e público em geral, inclusive adiando-se eventos em que haja aglomeração de pessoas.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Bauru