CEI da ETE: com diligências, vereadores sistematizam trabalhos e solicitações de documentos

 Em diligências no Departamento de Água e Esgoto (DAE) e na Secretaria Municipal de Finanças, os membros da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura problemas relacionados ao projeto, ao contrato e à obra da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE –Vargem Limpa) coletaram informações para otimizar e sistematizar os trabalhos.

Mané Losila (PDT), Edvaldo Minhano (Cidadania), Coronel Meira (PSB), Chiara Ranieri (DEM) e Yasmim Nascimento (PSC) foram recebidos pelo presidente da autarquia, Eliseu Areco Neto, e pelo secretário Everson Demarchi, acompanhados de suas equipes técnicas.

Nas duas repartições, os parlamentares adiantaram a relação de documentos que julgam necessários para a primeira etapa de análises, especificando quais devem ser formalmente solicitados ao DAE e quais à Prefeitura, em razão da complexa divisão de atribuições. . Os projetos foram desenvolvidos e/ou contratados pelo DAE. O contrato com a empresa que executa à obra, por outro lado, foi firmado junto à Prefeitura.

Nesse sentido, os vereadores levantaram a informação de que, em março, a assinatura completará 60 meses, o que enseja a apresentação de justificativas específicas para que sua vigência possa ser renovada.

A próxima reunião ordinária da CEI está marcada para terça-feira (18), a partir das 11h da manhã.

No dia 21 de fevereiro (sexta-feira), às 14h, o grupo receberá o presidente do DAE para que os parlamentares tenham atualizado o posicionamento da obra e de providências administrativo-judiciais relacionadas ao tema, antecipando a apresentação convocada para Audiência Pública, inicialmente agendada para o dia 10 de março.

As datas das próximas reuniões da comissão estão cadastradas na Agenda da Câmara de Bauru.

Os membros se dividirão em frentes de trabalho para a análise dos documentos. Coronel Meira e Chiara Ranieri se debruçarão sobre questões ligadas ao projeto da obra.

Yasmim Nascimento e Edvaldo Minhano, por sua vez, focarão no uso de recursos do Fundo de Tratamento de Esgoto (FTE) e nos aditivos contratuais.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Câmara.