Região de Marília será rebaixada para a fase vermelha no Plano SP

  • Welinton Barros

Fase é mais restritiva e revê apenas o funcionamento de atividades consideradas essenciais (Foto: Divulgação | Governo de SP)

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (19) durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, que Marília e Registro, voltarão a ter restrições mais rígidas no combate à pandemia de covid-19. Segundo o governo, as duas regiões estão com o sistema de saúde pressionado e preocupam o comitê de saúde. Com isso, as duas voltam para a fase 1 do plano de reabertura da economia.

Além de anunciar o aumento da restrição em Marília e Registro, o governo voltou a demonstrar preocupação com Campinas e Sorocaba. O coordenador do Centro de Contingência, Carlos Carvalho, alertou para o aumento no número de internações.

"A situação dessas cidades, desses municípios, que estão dentro de uma região de saúde, pela média, estão ainda no laranja, mas esses dois municípios estão numa situação que aponta para a possibilidade de um grande número de casos para o sistema específico daquele município. A regional pode estar com uma média adequada, mas estes municípios estão entrando numa zona mais perigosa", afirmou.

De acordo com o governo do estado, a maneira como os municípios estão seguindo ou não as orientações do Plano São Paulo têm sido fundamental para o avanço ou contenção da pandemia. Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente, que já estavam na fase vermelha, continuam com as restrições. Porém, segundo o governo, essas duas regiões estão melhorando seus índices. 

Ainda de acordo com a atualização divulgada nesta sexta, Bauru seguirá na segunda etapa do plano (fase laranja), e não terá restrições.

"O plano tem dado resultado quando endurece. A gente pode verificar as regiões de Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Barretos com uma melhora em relação à semana passada. Elas apresentam uma tendência de melhora, que pode se consolidar ou não", disse o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi.

"E aqueles municípios que fazem uma flexibilização maior do que o plano indica têm indicadores piorando, o que aconteceu em Registro e Marília", completou.