Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) debate sobre a retomada das aulas no estado

  • Lucca Willians

O governo do Estado de São Paulo adiou a reabertura das escolas públicas e particulares para o dia 7 de outubro. A recomendação foi do Centro de Contingência do Coronavírus para garantir maior segurança às crianças, adolescentes, professores, gestores e outros profissionais que trabalham nas escolas, bem como seus familiares. 

Enquanto a data de retorno ainda está indefinida e pode, a qualquer momento ser postergada, profissionais na área de saúde já pensam e orientam sobre medidas fundamentais para que esse retorno acontece com a maior segurnaça possível. 

A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) criou um departamento específico para essas questões (Departamento de Saúde Escolar) e têm debatido amplamente o assunto. Entre as principais recomendações apontadas pela SPSP estão: desinfecção adequada das escolas, uso de máscaras, controle de temperaturas, entrada e saída em diferentes horários, higienização das mãos, menor número de alunos, distanciamento, arejar as salas, afastar profissionais do grupo de risco, tendas de desinfecção na entrada e ensino híbrido. 

A SPSP recomenda também algumas proibições para evitar maior risco a todo o grupo envolvido: a entrada dos pais na escola, reuniões de professores, excursões e competições, brinquedos trazidos de casa, compartilhamento de objetos e de lanches.