Secretaria de Saúde flagra e autua organizadores e participantes de festa clandestina nesta quinta-feira

  • Lucca Willians

As equipes do Setor de Fiscalização da Secretaria de Saúde, na noite desta quinta-feira (20), flagraram diversas irregularidades no cumprimento das medidas de enfrentamento do novo coronavírus em Bauru. Foram 19 fiscalizações realizadas, sendo 13 denúncias e 6 de rotina. Além de um auto de infração, aplicado a uma festa clandestina realizada no bairro Santa Fé, região noroeste da cidade, que chamou atenção da Secretaria devido o grau das irregularidades.

Logo com a confirmação da ocorrência da festa, a equipe de vigilância junto a Polícia militar se dirigiu ao local com o objetivo de impedir o início do evento. Mas já havia em média 60 pessoas quando chegaram, inclusive menores. A maioria não fazia uso de máscaras. Além da aglomeração, foram encontrados quantidades significativas de bebidas alcoólicas e narguiles, não são recomendados neste período da pandemia ao propiciar a transmissão da Covid-19.

Nesta festa, foram 17 autos de infração, sendo 2 a organizadores e outros 15 a participantes do evento. Havia 16 menores de 18 anos participando da festa clandestina, sendo que 15 deles foram liberados para ir para casa mediante a presença dos pais ou responsáveis, que foram acionados pela PM, e apenas 01 foi acolhido pelo Conselho Tutelar do Município pela impossibilidade de contato com os responsáveis.

Os organizadores da festa foram multados em R$ 15.000,00 e os frequentadores receberam multa individual de R$ 500,00. Devido ao fato do evento não ter estabelecido nenhuma cautela para identificar os menores, aliado a grande quantidade de adolescentes, a Secretaria de Saúde irá acionar o Ministério Público para apreciação em relação a conduta dos organizadores.

O Secretário de Saúde, Dr. Sérgio Henrique Antonio fez questão de acompanhar a fiscalização durante a madrugada. Acompanhado dos assessores de gabinete, Mário Ramos e Flávio Kitazume, se mostrou indignado com a situação. “As pessoas sabem que estão erradas, mas fazem questão de desobedecer as medidas de enfrentamento à pandemia com isolamento e distanciamento social, o que é profundamente lamentável”, enfatizou.