Quarentena provoca aumento na procura por cursos online e consolida empresas que apostaram no nicho

  • Lucca Willians

Necessidade de inovação valoriza empresas que já apostavam na união entre tecnologia e educação

A pandemia de Coronavírus pegou todos de surpresa e incentivou a busca por soluções tecnológicas para manter a produtividade durante o período de quarentena, o que resultou no crescimento de plataformas de ensino à distância nesse cenário.

Essa demanda, contudo, tinha um empecilho: anteriormente, ainda existia um receio de professores e profissionais da área de apostarem no uso da tecnologia em sala de aula. Assim, havia um despreparo para a transição do ensino presencial para um totalmente a distância. Foi feita uma simples transferência do modelo presencial para o meio digital, sem levar em consideração a necessidade de adaptação da forma e do conteúdo.

A tendência é de que, mesmo com o fim da pandemia de coronavírus e com a volta do ensino presencial, aconteça um investimento maior no uso da tecnologia como ferramenta educacional. Um censo realizado pela Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância) indica que em 2023 mais alunos estarão matriculados em cursos EAD do que em cursos presenciais. Muitos especialistas já dizem há tempos, inclusive, que o modelo de ensino híbrido (online e presencial) é a melhor forma de aprendizagem.

Caso houvesse um investimento maior no ensino híbrido, a qualidade do EAD durante o período de quarentena teria sido maior. A mudança para plataformas online foi muito rápida, sem uma adaptação completa para o novo meio. Portanto, diante desse novo cenário, houve um crescimento da demanda por plataformas especializadas na educação a distância e empresas como a Scaffold Education tiveram a oportunidade de crescer.

A Scaffold oferece soluções tecnológicas que compreendem que cada instituição ou empresa tem especificidades. Sua plataforma é facilmente adaptável às demandas de cada um, com soluções únicas. Há investimento na construção de trilhas - caminhos educacionais a serem percorridos, em que um conteúdo se encadeia no outro para garantir um processo de ensino gradual e didático – e na gamificação – uso de dinâmicas de jogos para possibilitar um processo que incentiva a autonomia e aumenta o engajamento com o conteúdo estudado. São formas de repensar a maneira como aproximamos alguém do tema abordado, de um jeito inovador e menos cansativo.

De maneira geral, a pandemia de COVID-19 exigiu um investimento muito grande em inovações tecnológicas em todas as áreas. Na educação, não foi diferente. As melhores soluções foram apresentadas por aqueles que já previam a necessidade de inovar na área e pensar em novas formas de aprendizagem. A Scaffold já estava preparada e conseguiu apenas se aperfeiçoar ainda mais no meio da quarentena.