PMs invadem casa e agridem moradores em festa de adolescente em Bauru

  • Jamile Diniz

Na tarde do último sábado (02), uma festa de aniversário de adolescentes foi invadida por policiais militares na Vila Industrial, em Bauru, após uma discussão com convidados. A festa celebrava os 16 anos de uma jovem na casa em que ela vive com os pais, que estavam presentes na ocasião.

A confusão teve início após um policial militar, que estava de folga e mora na região, discutir com dois dos convidados por estarem fumando maconha do lado de fora da festa.

Ao perceber a movimentação, os pais da aniversariante foram tentar apaziguar a situação. A mãe, Jocimara Fabiano da Silva, conta que o policial já estava muito alterado quando ela e o marido chegaram e que ele professou ofensas e palavras de baixo calão contra os dois.

Jocimara também diz que não concorda com a atitude dos meninos que estavam fumando, mas que não tinha conhecimento do ocorrido até então. Após a discussão, os donos da casa pediram aos convidados que voltassem para a festa. Silva conta que o policial continuou xingando do lado de fora, mas que acreditava que a situação estivesse encerrada. Entretanto, 10 minutos depois diversas viaturas chegaram ao local.

Quando o pai da aniversariante abriu o portão, os policiais invadiram o local e começaram a agredir os convidados. Ele ressalta que em momento algum os PM's pediram para entrar na casa. Vídeos do momento da invasão foram registrados e espalhados pelas redes sociais.

Em entrevista ao G1, Jocimara, que foi agredida no rosto e nas costas, conta "Parecia que eles estavam invadindo a casa de um traficante de alta periculosidade. Eles entraram agrediram todo mundo. Foi muita covardia. Bater em uma mulher já é covardia, dentro da casa dela ainda!".

(Foto: Reprodução/TV TEM)

O policial que estava de folga também participou da invasão e agrediu os convidados, como mostram os vídeos divulgados.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o caso está sendo investigado como abuso de autoridade e lesão corporal pela Central de Polícia Judiciária de Bauru. Em nota, a Polícia Militar afirmou que a instituição da PM não compactua com desvios de conduta de seus agentes e que a IPM está apurando os fatos