Parecer da Câmara define prosseguimento da Comissão Processante que investiga irregularidades na Cohab

  • Lucca Willians

Cópias de depoimentos já prestados ao Ministério Público no âmbito da Operação João de Barro serão solicitadas em caráter de urgência

A Comissão Processante instaurada na Câmara Municipal de Bauru emitiu parecer pelo prosseguimento dos trabalhos, após análise das defesas prévias dos três denunciados por suposta relação com viagens que teriam sido pagas a mando do ex-presidente da Cohab Édison Gasparini Júnior. Leia a íntegra

Relator do colegiado, o vereador Coronel Meira (PSL) pontua que, a despeito de alegações contidas nas defesas, não se pode exigir de cidadãos denunciantes a mesma precisão técnica de uma denúncia penal.

A presidente da CP, Chiara Ranieri (DEM), e o terceiro integrante da comissão, parlamentar Edvaldo Minhano (Cidadania), acompanharam o entendimento.

Estão entre os denunciados o prefeito Clodoaldo Gazzetta, o vereador Sandro Bussola (PSD) e o parlamentar licenciado Fábio Manfrinato (PP).

De acordo com o Decreto-Lei 201/1967, a partir desta etapa, a Processante pode dar início às instruções cabíveis.

Nesse sentido, com base no parecer, serão solicitadas ao Ministério Público, em caráter de urgência, “cópias dos depoimentos da senhora Olga Maria de Oliveira Matosinho, ex-secretária do ex-presidente da Cohab, e da senhora Ângela Aiello, proprietária da agência de viagens Aiello Turismo, prestados no Ministério Público (GAECO – Bauru) na investigação criminal da Operação João de Barro, bem como todos os documentos relacionados e pertinentes aos depoimentos”.

O relator destaca que este material tramita em Segredo de Justiça.

A próxima reunião da Comissão Processante foi agendada para a próxima segunda-feira (30), às 16h.

Ainda hoje, os membros do grupo acataram o pedido da defesa de Sandro Bussola para que a agência Aiello Turismo informe sobre supostos emissão e pagamento de bilhetes aéreos em seu nome e o efetivo embarque em viagens.

A documentação sobre os processos judiciais relativos à Cohab também serão requisitadas à 4ª Vara Criminal de Bauru.

Denúncia e Defesas

A instauração da CP foi aprovada pelo Plenário da Câmara Municipal de Bauru, acolhendo denúncia apresentada pelo munícipe Luiz Eduardo Penteado Borgo.

Tal denúncia é embasada em reportagem jornalística que trata de depoimento de ex-funcionária da Companhia de Habitação Popular de Bauru (Cohab) ao Ministério Público, no âmbito da Operação João de Barro, a respeito de viagens do vereador Sandro Bussola (PSD) e do vereador licenciado Fábio Manfrinato (PP), supostamente pagas por determinação do ex-presidente do órgão, Édison Gasparini Júnior.

Sobre o chefe do Poder Executivo, o denunciante alega que, caso comprovados os pagamentos, o prefeito pode ter se omitido ou negligenciado na “defesa de bens, rendas, direitos ou interesses do Município sujeitos à administração da Prefeitura”.

Leia mais sobre as defesas prévias dos denunciados