Organização financeira ganha maior importância em meio à pandemia

  • Lucca Willians

Com a crise do coronavírus, estamos vivendo uma época de incertezas econômicas, por isso, manter a organização financeira é de extrema importância nesse momento

Além da crise no setor de saúde, a pandemia do novo coronavírus preocupa a saúde financeira de diversas famílias impactadas pela paralisação de atividades econômicas. Mesmo com a flexibilização em algumas regiões do país, essa nova fase em que estamos vivendo exige mudanças e nos traz muitas incertezas em vários aspectos.

Nesse sentido é muito importante as pessoas manterem a calma e estar conscientes do que está acontecendo e também do que pode acontecer no futuro. "Estamos em um momento que é muito novo e diferente para muitos, porém deve ser visto também como uma oportunidade de inovação, de rever processos e maneiras de como as coisas eram realizadas e como podem ser feitas a partir de agora", comenta Edemilson Koji Motoda, presidente do Grupo KSL.

É natural, em meio a uma crise, que as pessoas repensem atitudes e formas de agir e, na vida financeira não é diferente. Quando falamos em crise logo pensamos em situações que fogem ao nosso controle e que podem nos impactar diretamente, geralmente negativamente. "O Brasil é um país de realidades muito diferentes, mas é importante, nesse momento manter a calma e buscar formas de reduzir, na medida do possível, custos básicos além de alternativas para manter a renda no mínimo necessário", afirma.

"Acreditamos no atendimento humanizado que seja baseado na empatia. Assim, buscamos entender a situação do consumidor que está inadimplente e oferecer formas que o ajudem a honrar e quitar suas dívidas. Por outro lado, é importante conscientizar esse inadimplente das consequências negativas que isso pode trazer para ele e para a empresa credora e consequentemente para outros consumidores e daí a importância de se quitar as dívidas o quanto antes", finaliza.

Estima-se que seis em cada dez famílias brasileiras estão inadimplentes, por isso, separamos cinco dicas para quem deseja quitar suas dívidas sem ter muitas dores de cabeça:

- Faça uma planilha ou use um caderninho mesmo com seus gastos e suas despesas: é importante conhecer seus ganhos e suas despesas (fixas e variáveis), dessa forma é mais fácil se conscientizar de como está usando o seu dinheiro.
- Antes investir é importante estar com as contas em dia, evitando a cobrança de multas e juros, acumulando assim ainda mais dívidas. Nesse caso, procure o seu credor e negocie. É importante que as parcelas da dívida caibam no seu orçamento, mesmo que isso exija um esforço extra durante um tempo.
- Defina as prioridades, equilibre o que ganha e o que se gasta.
- Estabeleça metas à curto, médio e longo prazo. É importante definir os objetivos que você tem para você e sua família, mas defina também prazos.
- Tenha disciplina. Conheça, organize e planeje-se, mas seja disciplinado para manter os gastos sob controle no dia a dia.