Maus-tratos a animais: Funcionários de fazenda são presos por associação criminosa em Brotas

  • Jovem Pan

A polêmica de maus-tratos envolvendo búfalos em Brotas teve novo capítulo neste domingo (21).

Após receber denúncias, a Polícia Civil esteve na fazenda Água Sumida e prendeu em flagrante o administrador da fazenda e um policial aposentado que prestava serviço de segurança no local.

Os policiais constataram que os animais sob a responsabilidade da propriedade estavam, novamente, sem água e comida e que eles agiriam de forma a impedir a entrada de voluntários para prestar cuidados com os animais debilitados.

Acusado de ordenar aos funcionários que agissem assim, o dono da fazenda, Luiz Augusto Pinheiro de Souza, recebeu nova ordem de prisão em flagrante, mas não foi localizado até esta segunda-feira (22). Ele e os dois funcionários responderão por crime de abuso a animais e associação criminosa.

Na tarde desta segunda, após audiência de custódia, os dois funcionários foram liberados e responderão em liberdade.

No documento anexado ao inquérito, o delegado Douglas Brandão do Amaral considerou que o administrador da fazenda, ao notar a chegada da polícia no local, acionou rapidamente a água do poço para o bebedouro de aproximadamente 800 búfalos.

Foi constatado ainda que, em outra área, mais 100 animais tinham água à disposição, porém nenhum tipo de pastagem e já apresentavam sinais de fraqueza.