Markinho Souza é investigado por suposto crime de corrupção passiva

  • Jamile Diniz

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil de Bauru para investigar denúncias contra Markinho Souza, presidente da Câmara dos Vereadores. As investigações ocorrem em torno dos crimes de corrupção passiva e concussão – quando um funcionário público faz uso do cargo para obter alguma vantagem.

As denúncias foram feitas por Anderson Santiago dos Santos, que era chefe de gabinete de Ricardo Kbelo, quando este ainda era presidente da Câmara. De acordo com Anderson, Markinho teria pedido a ele que deixasse o cargo e fosse trabalhar na prefeitura. Com a recusa, Santos foi demitido do cargo na última segunda-feira (01).

Anderson também entregou um documento em que alega que Markinho teria prometido a um morador uma vaga de emprego na prefeitura em troca de votos nele durante as eleições de 2020. As denúncias foram recebidas pela Câmara, que as encaminhou para a comissão de ética, onde a conduta do atual presidente da Câmara durante o mandato será analisada.

Markinho Souza, em contrapartida, solicitou a instauração de um inquérito com tra Anderson Santiago dos Santos, no qual pede a apuração dos crimes de extorsão, calúnia, difamação e denunciação caluniosa. Sobre o caso, Santos afirma ser inocente e ter cumprido seu papel de denunciar a compra de votos supostamente feita por Markinho. O pedido foi protocolado pela Polícia Civil.

Revisado por Alexandre Pittoli