Isolamento social aumenta o risco de obesidade em crianças

  • Lucca Willians

A chegada do coronavírus trouxe mudanças na rotina que favorecem o sedentarismo e os maus hábitos alimentares

A obesidade é uma doença crônica que pode iniciar ainda na infância e trazer diversos prejuízos para a vida adulta, como diabetes, hipertensão, colesterol alto e até mesmo problemas psicológicos. Segundo o Ministério da Saúde, 13% dos meninos e 10% das meninas entre 5 e 19 anos sofrem com a obesidade ou sobrepeso no Brasil.

Com a chegada da pandemia do coronavírus, as crianças sofreram grandes mudanças em sua rotina e o descuido com a alimentação, assim como a falta de atividades físicas se tornaram ainda mais comuns.

A endocrinologista pediátrica Gabriela de Carvalho Kraemer lembra que é fundamental que os pais estejam alertas e incentivem os bons hábitos aos filhos. “Eles podem fazer isso priorizando o consumo de alimentos preparados em casa e com menos gordura, oferecer frutas frescas e sair um pouco da frente das telas como computador, televisão e celular”, enfatiza.

A especialista ainda destaca que a obesidade pode acarretar problemas de baixa autoestima. “A criança percebe que é diferente dos amigos porque está acima do peso e futuramente isso pode causar distúrbios como anorexia e bulimia. Mas além disso, ainda temos complicações ortopédicas como desvios de coluna e de joelho, apneia do sono, hipertensão e diabetes”, conclui.

 Importância das atividades físicas

Com o distanciamento social, quem realizava exercícios físicos na rua, na escola e em academias por exemplo, precisou parar. “Em crianças e adolescentes temos um fator agravante que é o crescimento dos ossos, e eles são alongados utilizando todos os movimentos das articulações. Então o ganho de peso e a falta de preparo físico causará dificuldades a eles quando voltarmos a normalidade”, ressalta o ortopedista pediátrico do Hospital Pequeno Príncipe, Evando José Aguila Gois.

Mas dá para se movimentar em casa, colocar as crianças para se exercitar junto e aproveitar o momento em família. O ortopedista dá algumas dicas de atividades simples para fazer no dia a dia e que são importantes para a saúde:

- Fazer alongamentos;

- Pular corda;

- Dançar;

- Brincar de caça ao tesouro dentro de casa; e

- Sempre que possível optar pelo uso das escadas ao elevador.