Hospital das Clínicas entra em funcionamento em Bauru, com 40 leitos disponíveis

  • Welinton Barros

Hospital de campanha terá leitos de enfermaria para 'desafogar' o Hospital Estadual; Gazzetta diz ter certeza que o HC 'veio para ficar' (Foto: Luiz Pereira | Jovem Pan News Bauru)

Nesta quarta-feira (01) a Famesp realizou no auditório do Hospital Estadual, uma entrevista coletiva para oficializar a abertura do Hospital das Clínicas em Bauru. A unidade conta com 40 leitos de enfermaria para o atendimento a pacientes com Covid-19. A primeira paciente do HC deu entrada na unidade por volta das 17h.

A Prefeitura de Bauru informou que o novo hospital receberá pacientes de baixa e média complexidade com coronavírus que já passaram por exames e se encontram estáveis, mas necessitam ficar sob supervisão, com poucas chances de desestabilização. O hospital contará com uma entrada específica e exclusiva a estes pacientes.

Na coletiva estiveram presentes o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB), o presidente da Famesp Antônio Rugolo Júnior, a Diretora Regional de Saúde, Doroti Alves Vieira, o promotor de Justiça da Saúde Pública de Bauru, Enilson Komono e a diretora executiva do Hospital Estadual de Bauru, Deborah Maciel Cavalcanti Rosa. Os vereadores José Roberto Segalla (DEM), Coronel Meira (PSL), Chiara Ranieri (DEM) e Telma Gobbi (PP) também participaram.

O prefeito Clodoaldo Gazzeta agradeceu o esforço coletivo de todos junto a Secretaria de Estado da Saúde para que a ação fosse materializada. E colocou a Prefeitura à disposição para o suporte a pacientes de enfermaria que estão indo para o Hospital das Clínicas. "Este é um dia histórico para a cidade de Bauru, foi uma luta de anos para que o Hospital pudesse ser útil à população bauruense", acrescenta.

Ainda segundo a prefeitura, a abertura no novo hospital será importante neste momento em que a demanda de vagas de UTI já ultrapassou 100% no Hospital Estadual. Não só em relação a pacientes com coronavírus, mas aos que possuem outras enfermidades, como ressaltou o Secretário de Saúde, Sérgio Henrique Antonio. "Vale lembrar que estes leitos também serão essenciais a outras patologias que se encontram represadas, com pacientes aguardando vagas nas unidades de emergência. É um avanço a Bauru, depois de tanto tempo", enfatiza.

A primeira paciente transferido para o HC, chegou ao hospital por volta de 17h. A paciente é uma mulher de 51 anos, moradora de Bauru que permanecerá na nova unidade até receber alta médica. Os pacientes serão encaminhados para o HC, através do Hospital Estadual.

"Eu tenho certeza absoluta que ele veio para ficar", diz Gazzetta sobre HC

Durante a coletiva, o prefeito Clodoaldo Gazzetta afirmou ter certeza absoluta de que o Hospital das Clínicas "veio para ficar" e que não será utilizado apenas nesse período de pandemia.

"Eu tenho certeza absoluta que ele veio para ficar. Não é um hospital que está sendo aberto apenas para o momento de pandemia", disse. "Agradeço o esforço coletivo de todos porque eu sei a burocracia intensa que foi junto à Secretaria de Estado da Saúde para que essa ação fosse materializada", afirmou Gazzetta.

Por outro lado, o presidente da Câmara de Vereadores José Roberto Segalla, cobrou a necessidade de que o HC se consolide como um hospital permanente, com o aproveitamento total da estrutura do prédio.

"Eu só queria ter a mesma segurança do senhor prefeito, quando ele afirmou ter certeza absoluta de que esse hospital veio para ficar definitivamente. Isso é o que todos nós queremos que aconteça. Não imaginamos e nem aceitaremos nenhum hiato nesse percurso. A necessidade é de que abrindo agora, ele permaneça aberto e só cresça. Que aumente o número de vagas e se consolide como um hospital completamente, aproveitando integralmente todo o prédio que está lá, para o bem da cidade e para o bem da faculdade de medicina que nós, a duras penas, por mais de 50 anos batalhamos para que se concretizasse", disse.

Na mesma linha de Segalla, o promotor Enilson Komono lamentou a demora para abertura do HC. "É lamentável essa abertura com cinco anos de atraso e que seja um hospital de campanha apenas. No que depender do Ministério Público esse hospital vai ser um hospital, e não hospital de campanha. Vai atender mais de cem, cento e cinquenta leitos, o quanto couber dentro da norma regulamentar. E vai ter UTI (Unidade de Terapia Intensiva), no que depender do MP, vamos fazer tudo o que é possível", explicou.