Homem se acorrenta em hospital para exigir tratamento de saúde ao pai

  • Jamile Diniz

Em Bauru, um homem se acorrentou a uma pilastra no Hospital Estadual para exigir um tratamento adequado ao pai de 68 anos que foi diagnosticado com a Síndrome de Guillain-Barré após se curar da Covid-19. O pai estava internado há 17 dias sem que medidas efetivas fossem tomadas para frear a ação da síndrome.

Carlos Fendel, publicitário residente em Bauru, conta que o pai teve Covid-19 em outubro e não precisou ser internado. Entretanto, mesmo após se curar, continuou apresentando sequelas como problemas de pressão e dores nas pernas.

Isso fez com que Carlos levasse o pai diversas vezes à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde chegaram a suspeitar de sinusite antes de finalmente internarem o paciente no dia 20 de dezembro.

Quando a internação ocorreu, o pai chegou andando ao hospital. Porém, 17 dias depois, ele não consegue respirar sem ajuda de aparelhos, faz uso de fraudas e já não se locomove. O avanço da síndrome se deve à demora para atender o paciente neurologicamente.  

Com isso, na quarta-feira (06), Carlos decidiu realizar a ação de se acorrentar a uma pilastra para chamar a atenção da opinião pública e exigir uma atitude médica no tratamento de seu pai, que definhava rapidamente.

A ação gerou resultado: nesta quinta-feira (07), em entrevista à Jovem Pan News Bauru, Carlos contou que o pai já começou a ser tratado. Confira a entrevista na íntegra: