Governo lança programa de assistência a famílias monoparentais

  • Lucca Willians

Mais de 12 mil famílias de 24 municípios do Estado de São Paulo participarão do Programa Prospera Família, do qual o lançamento foi realizado no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta-feira (03).

O Programa tem como objetivo oferecer renda, mentoria, qualificação e acompanhamento a pessoas em situação de extrema pobreza e com dependentes da primeira infância, por meio da inclusão produtiva e da geração de renda.

O foco é atender famílias monoparentais, com crianças de 0 a 6 anos, e que estejam em situação de extrema pobreza, (ou seja, que sobrevivem mensalmente com até R$89 por pessoa), devidamente cadastradas no Cadastro Único e, preferencialmente, atendidas por programas e serviços destinados à primeira infância.

Célia Parnes, Secretária Estadual de Desenvolvimento Social, explica: "Direcionamos nosso olhar para famílias com múltiplas vulnerabilidades sociais e que desempenham papéis duplos na criação dos seus filhos e dependentes na primeira infância. Famílias ainda mais fragilizadas devido à pandemia da covid-19 e que tiveram a renda e segurança alimentar comprometidas. Com isso, buscamos quebrar o ciclo de pobreza e gerar oportunidades para que se desenvolvam e conquistem autonomia pessoal e sustentabilidade financeira".

Edição Prospera Jovem 2020

O Programa foi elaborado com base na bem sucedida metodologia Prospera, já executada no "Prospera Jovem", programa lançado em 2019 para incentivar jovens do Vale do Ribeira a desenvolverem seus projetos de vida. A metodologia foi desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo.

Pilares

O Prospera Família tem como premissa quatro pilares. O primeiro deles é o projeto de vida dos beneficiários, que consiste num plano de geração de renda, baseado no potencial de cada responsável familiar, combinando suas aspirações pessoais, profissionais, sociais e financeiras.

A partir da definição do projeto de vida, é disponibilizada a tutoria, por meio de profissionais para capacitar, orientar, direcionar e acompanhar continuamente o desenvolvimento dessas famílias, construindo e implementando o plano de negócios de cada uma delas.

No decorrer do Programa, os beneficiários terão capacitações profissionais, com cursos de aprendizado e/ou aperfeiçoamento de um ofício, além de mentorias direcionadas ao empreendedorismo, gestão e execução do modelo de negócio definido.

Investimento de recursos financeiros

A prerrogativa da assistência social para apoiar essas famílias se dá de três maneiras: a primeira é a transferência de renda com valores que permitem a subsistência do núcleo familiar; também há recursos destinados à poupança, de forma que estimule a cultura de poupar, gerando reservas de emergência; por fim, a transferência de ativos, destinada à compra de materiais e ferramentas de trabalho a que foram capacitadas.

Ação integrada entre Estado e Municípios

Visando fortalecer o SUAS (Sistema Único de Assistência Social) por meio de ações integradas e complementares aos serviços socioassistenciais, o Governo do Estado de São Paulo repassa aos municípios o recurso necessário para implantar o Programa Prospera Família e, assim, aprimorar a oferta de serviços da rede socioassistencial.

Municípios Selecionados

Os municípios selecionados pela SEDS, com base nos critérios do processo, são: Miracatu, Buri, Iguape, Capão Bonito, Francisco Morato, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, Pirapora do Bom Jesus, Juquitiba, Cajamar, Itanhaém, Guararema, Bertioga, Biritiba-Mirim, Teodoro Sampaio, Peruíbe, Mongaguá, Embu das Artes, Itararé, Poá, Registro, Arujá, Itaquaquecetuba e Carapicuíba.