Estudantes de escolas estaduais podem demonstrar interesse em chip de internet até esta sexta-feira (26)

  • Lucca Willians

Podem participar alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental ou da 1ª à 3ª série do Ensino Médio (Foto: Reprodução/Secretaria de Educação do Estado de São Paulo)

Estudantes da rede estadual têm até esta sexta-feira (26) para demonstrar interesse em receber o chip com 3GB de internet. Eles serão acompanhados por um professor orientador. Podem participar alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental ou da 1ª à 3ª série do Ensino Médio, tanto do período diurno quanto noturno, de escolas regulares. Serão priorizados os estudantes mais vulneráveis do estado, a partir da observação de critérios do CadÚnico.

A manifestação pode ser feita na Secretaria Escolar Digital – SED na aba Manifestação de Interesse dos Alunos ao Chip.

Os alunos que receberem o chip terão que acessar conteúdos do Centro de Mídias de São Paulo e de outras plataformas durante até 1h45 por dia, caso sejam do período diurno, e de 1h15, se forem do noturno, além de ser orientado pedagogicamente por um professor duas vezes por semana via chat do CMSP. São 500 mil chips disponíveis.

Além de poder usar o chip para o ensino remoto, com um grupo de colegas, os estudantes podem utilizar para projetos do seu grupo de estudos da Ampliação Híbrida. Caso cumpridas todas as etapas do programa, cada grupo receberá R$ 300 para serem utilizados na unidade escolar para tirar os seus projetos do papel.

Orientação de estudos e ampliação híbrida

A orientação de estudos será inserida na rede estadual com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio. A iniciativa contempla a expansão de carga horária e diversificação da oferta por meio da utilização de metodologias híbridas de ensino, orientação semanal de estudos em grupos menores com professores da rede e distribuição de chips com dados móveis. Essa ação congrega dois objetivos principais: a recuperação e aprofundamento da aprendizagem, bem como o fortalecimento dos vínculos dos alunos às suas escolas.

A estratégia será realizada por mecanismo de adesão voluntária, tanto por parte de professores, como de alunos e terá como público-alvo prioritário os estudantes vulneráveis da rede tanto de escolas regulares do período diurno quanto noturno, por se tratar de uma ação com foco na redução das desigualdades. A orientação de estudos realizada por professores da rede será articulada com a realização de trilhas formativas online, com conteúdos do Centro de Mídias e plataformas de aprendizagem parceiras.