Estado de SP ganha 135ª Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher

  • Lucca Willians

Nova delegacia especializada passa a funcionar no município de São Caetano do Sul, em imóvel cedido pela Prefeitura local

O Governo de São Paulo, por meio da Secretaria da Segurança Pública, inaugurou nesta quinta-feira (13) a 135ª Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher (DDM) do Estado. A nova unidade especializada passa a funcionar em São Caetano do Sul, ampliando a proteção às mulheres da região. Esta é a segunda DDM inaugurada na atual gestão.

"Hoje nós estamos inaugurando a centésima trigésima quinta delegacia dedicada às mulheres. Destas, 10 funcionam 24 horas, confirmando a atenção que a Polícia Civil tem dado à proteção das mulheres, cumprindo a diretriz do Governo do Estado", disse o secretário da Segurança Pública, General João Camilo Pires de Campos.

A nova delegacia especializada está sediada no prédio que abrigava o 2º Distrito Policial do município, na rua Silvia, 160, no bairro Santa Maria. Com a inauguração, as ocorrências deste distrito passarão a ser atendidas no 1º DP de São Caetano do Sul.

Para receber a DDM, o imóvel, cedido pela Prefeitura, passou por reforma com melhoria custeada pela própria cidade, sem ônus ao Estado. O local conta com nove salas, além de uma sala para acompanhamento, uma brinquedoteca, uma sala de acolhimento e uma sala de depoimento especial.

O local será chefiado pela delegada Daniela Attab Del Nero, que terá apoio de mais nove policiais civis, sendo quatro investigadores, quatro escrivães e uma operadora de telecomunicações, além de uma frota com quatro viaturas.

A nova DDM funcionará de segunda à sexta-feira, das 9h às 18 horas, beneficiando cerca de 149,2 mil pessoas. Esta é a segunda DDM inaugurada na atual gestão, sendo a primeira em Jacupiranga, em março deste ano.

Combate à violência contra a mulher

Com a inauguração, o Estado passa a contar com 135 DDMs em pleno funcionamento,  sendo que dez delas atendem 24 horas. Além disso, todas as delegacias paulistas seguem o Protocolo Único de Atendimento, que estabelece um padrão para atender e melhor acolher casos de violência contra a mulher.

Outra medida importante para proteger o público feminino foi a possibilidade de registrar eletronicamente casos de violência doméstica. A iniciativa passou a valer no mês de abril deste ano, época em que o rol de ocorrências da Delegacia Eletrônica foi ampliado, especialmente devido à pandemia.

Além do boletim eletrônico, desde março de 2019 há o aplicativo SOS Mulher, que permite que as vítimas de violência doméstica – que possuam medida protetiva expedida pela Justiça – peçam ajuda quando estiverem em situação de risco apertando apenas um botão no celular.

"Vimos, na pandemia, a rapidez que a Delegacia Eletrônica entrou forte para atender as necessidades da violência contra a mulher, da violência doméstica, e também temos o SOS Mulher. Ou seja, efetivamente há ações concretas que mostram a atenção do Governo do Estado, da Secretaria da Segurança Pública e da Polícia Civil à proteção desse público", concluiu o general Campos.