Dívidas da Cohab impedem fechamento da empresa

  • Jamile Diniz

(Foto: Jamile Diniz)

A Companhia de Habitação Popular de Bauru (Cohab) não poderá ser fechada imediatamente em razão das ações de posse da companhia e das dívidas que ainda necessitam de negociação. A afirmação é do presidente da entidade, Arildo Lima Jr, que assumiu o cargo há apenas um ano.

Na tarde de quinta-feira (16), foi realizada uma reunião pública na Câmara dos Vereadores com intuito de debater o futuro da Cohab e a possível liquidação rápida do órgão.

Ainda de acordo com o atual presidente, o maior desafio da companhia será o pagamento das dívidas com o sistema nacional de habitação. Para tanto, será necessário negociar com o Governo Federal.

As dívidas somam R$1,5 bilhão, entretanto, considerando descontos previstos em portarias, o valor cai para R$360 milhões. A ideia é que seja realizado um parcelamento de 20 anos, com o pagamento mensal de até R$2 milhões.

A Companhia, que há um ano vem sendo notícia por conta da Operação João de Barro, do Gaeco, teve o então presidente Edison Bastos Gasparini Jr. afastado depois do escândalo. A estrutura da Cohab também sofreu alterações: além de um novo presidente, foram nomeados um diretor financeiro e uma gerente jurídica. O quadro de funcionários caiu de 64 para 50.