DAE não apresenta soluções de curto prazo para estiagem de 2021 e falta d'água preocupa

  • Jamile Diniz

(Foto por Jamile Diniz)

Com ações a longo e médio prazo, um plano para regularizar o abastecimento de água em Bauru foi apresentado pelo Departamento de Água e Esgoto (DAE) em uma audiência pública na Câmara dos Vereadores desta terça-feira (23). A iniciativa foi tomada pelo parlamentar Mané Losila quase três meses após a nova gestão municipal assumir o posto. A presidente da autarquia, Flávia Souza, também esteve presente, representando o governo e outros agentes públicos.

Embora acredite que as propostas apresentadas sejam eficientes a longo prazo, o vereador Losila se mostrou preocupado com o ano de 2021 e afirmou que Bauru dependerá, mais uma vez, das chuvas – o que, em caso de estiagem, poderá gerar problemas para o município, como o que ocorreu no ano passado.

Losila também disse que a audiência foi motivada pelo desabastecimento que tem afligido a região nordeste da cidade, como a Vila Falcão, Vila Souto, Vila Giunta, Alto Paraíso, Jardim Jussara, Parque Viaduto, Ipiranga, Independência, Terra Branca e Ouro Verde.

O DAE, porém, garantiu mudanças imediatas para o possível período de estiagem de 2021. Exemplo disso é que, na região noroeste – a mais afetada pela falta d’água – são mais de 100 metros cúbicos de fornecimento por hora. Metade disso vem do poço Santa Cândida e a outra do poço Parque Real. Há, também, o reservatório da Vila Falcão, além de setorizações do DAE que devem facilitar o abastecimento.

Revisado por Alexandre Pittoli