Crise leva 70 mil pessoas para a linha da pobreza em Bauru

  • Jamile Diniz

De acordo com dados da Secretaria Municipal do Bem Estar Social (Sebes) já existem 70.206 pessoas vivendo entre as faixas de pobreza e de extrema pobreza em Bauru. Nestes números, estão incluídas famílias que vivem com rendas per capitas de R$89 a R$550, seguindo os parâmetros de vulnerabilidade estabelecidos pelo Governo Federal.

A informação representa um cenário crítico a respeito da situação socioeconômica de grande parte da população bauruense e é confirmada por outros fatores, como o aumento significativo nos pedidos de cestas básicas em março, que chegou a 4.704 pedidos em comparação à média mensal de 1.000 cestas durante 2020.

Ainda segundo os dados, neste ano 10.102 pessoas vivem em Bauru em situação de extrema pobreza, outras 3.093 em situação de pobreza e mais 57.011 vivem com até meio salário mínimo. A Sebes também afirma que todas essas pessoas estão inscritas no CadÚnico (Cadastro Único para programas sociais do governo federal), cujo o objetivo é identificar essas famílias e ajudar o Poder Público a desenvolver ações para esses grupos.

Um aumento exponencial também foi constatado no número de pessoas que buscam alguma forma de serviço nos centros de atendimento social Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Cras (Centro de Referência de Assistência Social). O número saltou de 34.502 pessoas em 2019 para 72.743 em 2020.

Estudos estão sendo realizados pela Sebes para que o orçamento recebido pelo órgão seja ajustado à alta demanda encontrada atual. Alguns dos serviços realizados pela secretaria já estão sendo intensificados, como é o caso da entrega de alimentos: entre janeiro e março, 75 mil marmitex e 45 mil kits alimentos já foram entregues.

Revisado por Alexandre Pittoli