CBV define que seleções não terão atividades em 2020, por conta da pandemia

  • Luiz Lanzoni

A Confederação Brasileira de Vôlei, a CBV, anunciou por meio de nota no final desta sexta-feira, que não irá realizar atividades com seleções no ano de 2020. A decisão, foi tomada pela alta cúpula da entidade, em conjunto com os técnicos da seleções, Renan Dal Zotto e José Roberto Guimarães. A ideia inicial da entendidatde era reunir os grupos no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), para realizar treinamentos.

Segundo o diretor executivo da CBV, Radamés Lattari, o principal objetivo é preservar todos os envolvidos no processo. "É claro que a ideia é sempre oferecer a melhor estrutura possível para as nossas seleções e que gostaríamos que eles se reunissem, mas somente se houvesse condição adequada para isso. A partir do momento que a nossa comissão médica detectou que existe riscos, não cogitamos colocar ninguém nesta situação", disse Radamés.

Consciente da necessidade, Renan concordou com a decisão. "Quando planejamos reunir o grupo em Saquarema a ideia era manter a chama olímpica acesa em cada um de nós. Estamos em um ano que voltou a ser pré-olímpico e, consequentemente, muito importante. Gostaríamos de ter um período onde os atletas pudessem estar juntos. Mas, é claro, diante da situação que estamos atravessando, se não é possível, não será feito. A saúde de todos está acima de tudo", afirmou Renan.

Zé Roberto adotou o mesmo discurso. "Gostaríamos de nos reunir, mas estamos cientes que ainda não é o momento. Nossa comissão médica detectou riscos e precisamos zelar pela saúde de todos os envolvidos no processo. Seguiremos monitorando as jogadoras e fazendo nossa parte para vencermos primeiramente esse vírus", concluiu o técnico da seleção feminina.