Câmara rejeita dois pedidos de abertura de processante contra Gazzetta no caso Cohab

  • Welinton Barros

Comissão poderia culminar na cassação do mandato do Chefe do Executivo (Foto: Arquivo | Luiz Pereira | Jovem Pan News Bauru)

A Câmara de Bauru rejeitou nesta segunda-feira (27) dois pedidos de abertura de Comissão Processante (CP) contra o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB), relativas ao caso Cohab (Companhia de Habitação Popular de Bauru). A Câmara Municipal recebeu os protocolos na última quarta-feira (22).

Os dois pedidos de CP foram lidos, discutidos e votados no Plenário Legislativo. Caso uma das comissões fosse aprovada, o processo poderia culminar na cassação do mandato do prefeito Gazzetta.

Ambos os pedidos apontam eventuais responsabilizações do chefe do Poder Executivo acerca de irregularidades cometidas na gestão da Cohab.

Um pedido é de autoria do munícipe Ricardo Alexandre Pereira; e outro, do vereador Edvaldo Francisco Minhano (Cidadania).

Para a instauração de uma Processante, seria necessário maioria simples de votos a favor do pedido.

Como votou cada vereador?
Em relação ao pedido protocolado pelo munícipe Ricardo Alexandre Pereira votaram favoráveis cinco vereadores: Sérgio Brum (PDT), Guilherme Berriel (MDB), Fabio Manfrinato (PP), Edivaldo Minhano (Cidadania) e Benedito Meira (PSL).

Votaram conta os vereadores: Yasmin Nascimento (PSDB), Ricardo Loquete (PRB), Natalino da Silva (PV), Milton Sardin (PTB), Markinho de Souza (PSDB), Manoel Losila (MDB), Luiz Carlos Barbosa (PRB), Luiz Carlos Bastazini (PTB), Francisco Carlos de Góes (DEM) e Sandro Bussola (PSD).

A vereadora Telma Gobbi (PP) se declarou impedida de votar, uma vez que seu irmão Paulo Sérgio Gobbi foi citado no processo.

Já em relação ao pedido de processante assinado pelo vereador Edivaldo Minhano, votaram favoráveis os vereadores: Sérgio Brum, Natalino da Silva, Manoel Losila, Guilherme Berriel, Fabio Manfrinato, Claudemir Vella (é suplente e foi convocado para votar no lugar de Edivaldo Minhano, que foi impedido de votar por ter assinado o pedido) o e Benedito Meira.

Votaram contra o pedido, os vereadores: Yasmin Nascimento, Ricardo Loquete, Milton Sardin, Markinho de Souza, Luiz Carlos Barbosa, Luiz Carlos Bastazini, Francisco Carlos de Góes e Sandro Bussola.

A vereadora Telma Gobbi (PP) novamente se declarou impedida de votar, uma vez que seu irmão Paulo Sérgio Gobbi foi citado no processo.