54 pessoas são presas em operação da Polícia Civil contra a pedofilia

  • Lucca Willians

Nomeada de "Black Dolphin", ação foi deflagrada no Estado de São Paulo e em outras três unidades federativas

A Polícia Civil de São Paulo prendeu 54 pessoas durante a operação "Black Dolphin", deflagrada nesta quarta-feira (25) em todo o Estado e em outras três unidades federativas. A ação foi realizada para o cumprimento de mandados de busca e apreensão relacionados a crimes de pedofilia.

Os trabalhos foram coordenados pelo Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e pela Delegacia Seccional de Polícia de São José do Rio Preto, contando com a mobilização de unidades policiais de todo o território paulista. As atividades também tiveram o apoio das polícias locais de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro - Estados que também foram alvos das ordens judiciais.

A operação mobilizou 1.170 agentes, com apoio de 302 viaturas. Do total de prisões, oito foram realizadas fora do Estado de São Paulo - três aconteceram em MG, quatro no RS e uma no RJ.

Investigação

A ação é resultado de uma apuração iniciada no ano de 2018, durante uma ronda virtual. Na ocasião, os trabalhos policiais permitiram prender, em São Paulo, um indivíduo que pretendia levar sua sobrinha para a Disney e vendê-la para abusadores estrangeiros, alegando que ela tivesse desaparecido no parque.

Por meio dessa prisão, foi possível descobrir uma organização criminosa voltada à produção e venda de material de abuso infantil, sequestro e tráfico de crianças para abusos. Com isso, foi instaurado um inquérito policial e solicitada à Justiça as ordens judiciais cumpridas hoje.