Confederação Brasileira de Voleibol, clubes e federações estaduais iniciam discussões sobre o calendário da próxima temporada

  • Luiz Lanzoni

A comunidade do voleibol, assim como toda sociedade, ainda sofre com uma série de incertezas causadas pela pandemia da Covid-19. Entretanto, Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), bem como os clubes e as federações estaduais, já iniciaram as discussões sobre a temporada 2020/21. A ideia é de que se houver condições sanitárias, o início dos treinos de pré-temporada aconteça no mês de agosto.

Já as competições estaduais estão previstas para iniciar em setembro e teriam duração máxima de dois meses, uma vez que o calendário nacional iniciaria na primeira semana de novembro, com a realização do torneio Super 8, reunindo as oito equipes classificadas para os playoffs na última edição da Superliga em sede única. Em entrevista à Rádio Banda B, a diretora do Curitiba Vôlei, Gisele Miró, se mostrou aberta para receber o torneio; na semana posterior está previsto o início da Superliga.

Rebaixados na última edição poderão disputar a elite novamente

Os dois últimos colocados na última edição, Valinhos e São Caetano, poderão se manter na elite. Tal situação acontece por conta da fusão dos projetos entre o Sesc Rio e o Flamengo, além da desistência do Itajaí Volêi, vice campeão da Superliga B, que assim como o campeão da competição, o Brasília, ganhou em quadra o direito de subir para a principal divisão do voleibol nacional.