Perder a Sendi como patrocinador master está longe de ser o fim do Bauru Basket, muito pelo contrário

  • Lucas Rocha

O título é autoexplicativo, após uma prolongada negociação, hoje foi dia do Bauru Basket agradecer seu patrocinador master das últimas três temporadas e iniciar verdadeiramente seu processo de planejamento para a próxima temporada, no que tange a quadra de jogo.

Ainda em abril, Bauru tomou a decisão de desistir da sequência até então confirmada do NBB 12, justamente para poder se planejar melhor para a temporada 2020/2021. A ideia era pegar o mercado livre muito antes de outros times, a exemplo do que tem feito a Unifacisa nesse momento. Não deu certo. As conversas com a Sendi acabaram se estendendo mais do que o esperado e agora o time terá de tomar um novo rumo.

Qual rumo?
O apoio dos co-patrocinadores. Após a brilhante passagem de Damião Garcia pelo Noroeste, convenciona-se na cidade sempre um estado de pânico quando chega nesse estágio. A obrigação de um master se tornou quase um mantra. Óbvio que é sempre importante ter a segurança de um patrocinador com bom montante. Entretanto, juntando forças também pode ser construída uma estrutura consistente de trabalho.

Nos próximos dias Bauru pode confirmar patrocinadores importantes como Zopone, Unimed, Mezani, Bild... Também é fundamental que outros acreditem no time e na atual diretoria, a própria Sendi pode retornar ainda essa temporada como co-patrocinador.

Fato importante é: o custo operacional do Bauru Basket diminuiu consoderavelmente, a comissão técnica e boa parte do corpo administrativo será pago via projetos incentivados. Depois de muito tempo, Bauru terá o seu orçamento limpo para trabalhar apenas na aquisição de novos jogadores.

O perfil de atleta? Certamente os agregadores e que tenham interesse em reconstruir seu basquete ou despontar para o cenário nacional. Talvez ainda seja cedo, mas Larry, Crescenzi e Renato Carbonari tem tudo pra ficar e quanto antes Bauru entrar no mercado, mais jogadores de alto nível conseguirá contratar.

Comissão técnica? Tudo pode acontecer, Demétrius Ferracciú ainda não está totalmente fora dos planos, mas está claro a intenção de que agora será necessário fazer muito com pouco. Ou aquilo que o bauruense sempre se acostumou a ter: um time competitivo. Com mais vitórias do que derrotas.

Pra fechar é necessário uma reflexão. Esqueçam o Mecenas. Um dia ele também cansa e a música não pode parar de tocar. O show tem que continuar. O Bauru Basket vai continuar!