Estado firma acordo para desenvolver fontes renováveis de energia em SP

  • Lucca Willians

Parceria atuará principalmente para o fortalecimento das modalidades solar, biomassa, eólica e pequena central hidrelétrica

A Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) assinou nesta quinta-feira (24) um Protocolo de Intenções com a Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD). O objetivo da parceria é implementar programas, projetos e atividades de interesse em comum com a Geração Distribuída (GD) de energia por fontes renováveis no estado de São Paulo.

O documento foi firmado pelo subsecretário de Infraestrutura SIMA, Glaucio Attorre Penna, pelo presidente da ABGD, Carlos Evangelista, e pelo presidente do Conselho da Associação, Guilherme de Lucena Crispim em reunião virtual realizada nesta quinta (24).

“A Geração Distribuída é uma oportunidade estratégica para dinamizar e aquecer a economia, proporcionando a geração de renda, empregos locais de qualidade e o fortalecimento da cadeia produtiva do Estado”, explica Glaucio Attorre.

Fontes renováveis

Com potencial elevado para a utilização de fontes renováveis de energia, a parceria representa uma oportunidade estratégica para dinamizar e aquecer a economia, gerando emprego e renda com o fortalecimento da cadeia produtiva regional de energias renováveis.

“Nós acreditamos que o consumidor vai assumir um papel mais ativo na transição energética nos próximos anos; a conscientização sobre os impactos do aquecimento global é crescente e a opção pela geração distribuída de energia com fontes renováveis é muito positiva para a sociedade”, afirma Carlos Evangelista.

“Precisamos dinamizar o mercado para que essa opção esteja disponível em condições interessantes para cidadãos, para que eles possam ser aliados do desenvolvimento sustentável”, acrescenta o executivo.

A GD contribui também para a diversificação da matriz elétrica, aumentando a segurança energética e diminuindo as perdas em transmissão, além da redução de emissões de gases de efeito estufa.

O termo prevê ainda a contribuição mútua em relatórios técnicos, participação em fóruns setoriais e promoção de workshops. Estão previstas também ações estruturantes para a melhoria da estão e gerenciamento da utilização da energia, além de material didático e ferramentas computacionais para estudos.

O plano de trabalho será construído em parceria com etapas e metas a serem atingidas. O Protocolo não prevê a transferência de recursos financeiros entre as instituições e tem prazo de 24 meses.

Sobre a ABGD

A Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), maior associação brasileira do setor de energias renováveis, conta com mais de 800 associados, entre eles provedores de soluções, integradores, distribuidores, fabricantes, empresas de diferentes tamanhos e segmentos, além de profissionais e acadêmicos, que têm em comum a atuação direta ou indireta na geração distribuída. Foi fundada em 2015 para dar legitimidade às demandas de empresas dedicadas à microgeração e minigeração de energia elétrica a partir de fontes limpas e renováveis.

A ABGD representa e defende os interesses de seus associados junto aos órgãos governamentais, entidades de classe, órgãos reguladores, agentes do setor, e mais do que isso, trabalha na difusão da GD para os diferentes setores da sociedade, incorporando os conceitos de sustentabilidade, retorno financeiro, segurança jurídica, eficiência energética e previsibilidade de gastos no que tange à geração e consumo de energia no local de consumo ou próximo a ele.