Juíza defere liminar em ação movida contra a família Gasparini e Paulo Gobbi

  • Eden Duarte

Ficou também determinado na liminar que os envolvidos se abstenham de adentrar as dependências da companhia sem autorização judicial (Foto: Luiz Pereira | Jovem Pan News Bauru)


A juíza Ana Lúcia Graça Lima Aiello da 1ª Vara Da Fazenda Pública de Bauru após ouvir o Ministério Público, deferiu a liminar solicitada pela COHAB na Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa que move contra o seu ex-presidente Edson Bastos Gasparini Junior, sua esposa e filha, bem como contra seu ex-diretor financeiro Paulo Sérgio Gobbi.

A juíza deferiu a gratuidade judiciária à COHAB Bauru, pois considerou que a Companhia apresentou saldo de prejuízo acumulado para o ano de 2018.

Na decisão liminar a juíza determinou, além da indisponibilidade dos bens, o bloqueio de valores e veículos até o limite de R$ 116.480.944,46 de Edson Bastos Gasparini Junior, sua esposa e filha e também de Paulo Sérgio Gobbi. Para tanto determinou a expedição com urgência de ofícios ao Banco Central do Brasil, à Junta Comercial, ao DETRAN e aos Cartórios de Imóveis de Bauru, para que adotem as providências necessárias.

A juíza determinou a expedição, com urgência, de ofício à 4a. Vara Criminal onde tramita o processo criminal relativo à operação “João de Barro”, solicitando àquele juízo que se abstenha de determinar o levantamento dos bens e valores lá bloqueados, bem como para que encaminhe a relação de tudo o que foi bloqueado nos autos do Processo Criminal, além disso solicitou os dados do administrador judicial nomeado no feito criminal, para o fim de ser incluído nestes autos na qualidade de terceiro interessado vinculado à COHAB.

Ficou também determinado na liminar que Edison Bastos Gasparini Júnior, Isabel Cristina Gonçalves Dias Gasparini, Mariana Gonçalves Dias e Paulo Sérgio Gobbi, que se abstenham de adentrar as dependências da companhia sem autorização judicial para tanto. Em caso de descumprimento da liminar deferida por parte dos requeridos, foi fixada pena de multa diária de R$ 500,00.