Justiça determina novo bloqueio em bens de Gasparini e ex-diretor da Cohab de mais de R$ 7 milhões

  • Eden Duarte

O pedido foi deferido pela 2ª Vara da Fazenda Pública de Bauru - (Foto: Luiz Pereira | Jovem Pan)

O Ministério Público solicitou à Justiça o bloqueio de indisponibilidade dos bens do ex-presidente da Cohab Edison Bastos Gasparini Júnior, do ex-diretor financeiro da companhia, Paulo Sérgio Gobbi e do empresário Milton José Kerbauy.

O pedido foi deferido pela 2ª Vara da Fazenda Pública de Bauru que, em decisão liminar, determinou o bloqueio de R$ 7.350.000,00 reais em bens.

De acordo com os autos do processo Milton Kerbauy, alegando ser único representante legal da empresa Jakef Engenharia, que havia conseguido através de ação judicial um crédito perante a COHAB, propôs um "acordo" para pagamento da dívida.

Assim, em 16 de abril de 2014, Gasparini e Paulo Gobbi, mesmo cientes de que Milton não era o único proprietário da empresa Jakef Engenharia, celebraram um acordo onde a COHAB assumiu a obrigação de pagar a importância mensal de R$ 200 mil.

O primeiro pagamento deu-se em 15 de março de 2014, antes mesmo da própria celebração formal do acordo que ocorreu um mês depois.

Entre 2014 a 2016 a COHAB pagou o valor do acordo através de cheques depositados em favor de uma terceira empresa de nome Golden Star Empreendimentos de propriedade de Milton Kerbauy.

A ação ainda está em curso, não houve o bloqueio das contas dos acusados em razão da indisponibilidade de bens.