Prefeitura de Bauru anuncia flexibilização gradual do comércio

  • Welinton Barros

Medidas começam a valer na próxima quarta-feira (8) (Foto: Divulgação | Prefeitura de Bauru)

A Prefeitura de Bauru publicou neste domingo (5) um novo decreto que prevê medidas graduais de flexibilização do isolamento social. Bauru está na fase vermelha do Plano São Paulo, que permite apenas o funcionamento de atividades essenciais, mas a prefeitura pretende flexibilizar as medidas a partir da próxima quarta-feira (8) com a chamada "Quarentena Responsável".

De acordo com o decreto, as novas medidas seguem até 14 de julho, com um processo gradativo e planejado de reabertura das atividades econômicas de forma restritiva, fundamentado e condicionado a evolução ou estabilização dos indicadores epidemiológicos, de modo a evitar a possível contaminação ou propagação do novo coronavírus, e a manutenção da sustentabilidade das atividades econômicas do município.

Segundo o novo decreto, a partir de quarta-feira fica permitida a realização de missas e cultos religiosos com a participação de fiéis, mas obedecendo às precauções sanitárias em decreto específico a ser publicado.

A partir da sexta-feira (10) fica permitido o atendimento ao público nos salões de beleza, manicures e barbeiros.

Fica permitido o atendimento ao público no comércio, bares, restaurantes e lanchonetes a partir da segunda-feira (13), obedecendo às precauções sanitárias em decreto específico a ser publicado.

O decreto também autoriza o funcionamento de academias a partir de segunda-feira.

Sincomércio fará manifestação nesta segunda

O Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Bauru e Região) convocou comerciantes e empresários para uma manifestação, marcada para às 13h desta segunda-feira (6), em frente ao prédio da Câmara Municipal. No mesmo horário haverá sessão ordinária onde os vereadores irão apreciar o veto do prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) ao projeto que prevê um Plano Estratégico de reabertura econômica.

No dia 26 de maio a câmara aprovou por unanimidade o projeto que é da vereadora Chiara Ranieri (DEM). A proposta que foi vetada por Gazzetta, divide a execução do plano de retomada em duas etapas.

A primeira terá duração de uma semana, mas o prazo pode ser estendido caso seja demonstrada a necessidade. Nesta fase, as lojas do comércio de rua e dos shopping centers poderiam abrir ao público em horários pré-determinados, com boxes que funcionariam como barreira física, a fim de limitar o acesso de apenas um cliente por vez.

Os estabelecimentos de estética, por sua vez, teriam autorização atender, com hora marcada, um cliente por vez em cada sala, sem outros em espaços de espera.

A segunda etapa permite a abertura, com protocolos específicos, dos restaurantes, bares e áreas de alimentação dos shoppings; e das academias, centros de ginástica e clubes esportivos.

Nesta fase, os boxes nas entradas das lojas seriam dispensados, ficando os lojistas responsáveis pela limitação de clientes para atendimento pessoal, na proporção de um para cada 12,5 metros quadrados.

As normas permaneceriam em vigor até o fim do Decreto Municipal de Situação de Emergência decorrente da pandemia do novo coronavírus.