PIB de Bauru cresce 5,5%; entenda os efeitos da terciarização da economia

  • Jamile Diniz

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) de Bauru aumentou 5,5 pontos percentuais desde o último levantamento divulgado. A alta pode ser relacionada ao desenvolvimento avançado do setor de serviços e comércio na cidade, fênomeno também conhecido como terciarização da economia.

O PIB é calculado de acordo com a soma de valores dos produtos e atividades finais no município, mas não considera a inflação.

Em Bauru, a alta deste índice se explica pelo fato de a cidade ter as áreas de serviços e comércio muito bem desenvolvidas, atuando como um polo regional. Com base nos dados do IBGE, o geógrafo Sérgio Caram analisa: "O alto desenvolvimento do comércio na cidade gera empregos, já que as compras são feitas aqui, tanto pelos habitantes de Bauru, quanto das cidades vizinhas. Isso é benéfico para a economia municipal".

Entretanto, ele chama atenção para o fato de que o índice do PIB não mede as desigualdades entre classes sociais. "O índice é positivo, mas não significa que a população como um todo desfrutou desse crescimento. É feita uma média que abrange do habitante mais rico da cidade ao mais pobre", pontua.

Entenda

As atividades produtivas da população são divididas em três setores da economia:

  1. Setor Primário: referente à agricultura, pecuária e extrativismo. É o setor que produz a matéria prima que abastece as indústrias.
  2. Setor Secundário: é o setor industrial, que enquadra a produção de máquinas, bens de consumo, geração de energia e construção civil.
  3. Setor terciário: está diretamente relacionado à prestação de serviços, seja por meio do comércio ou de profissionais liberais. Enquadram-se nesse setor advogados, professores, jornalistas economistas etc.

O fenômeno que ocorre em Bauru é o da terciarização da economia, quando as atividades se concentram majoritariamente no setor de serviços. Essa é uma característica da fase atual do sistema capitalista, visto que cada vez mais o campo e a indústria são automatizados e empregam menos trabalhadores. Esses trabalhadores, portanto, migram para serviços e comércios. Nos Estados Unidos, por exemplo, o setor terciário abrange cerca de 80% da população em atividade no país.