Parceria entre Unesp e Embraer viabiliza 40 mil testes no interior de SP

  • Lucca Willians

Empresa realizará a doação para os exames de diagnóstico da enfermidade COVID-19 em três regiões de São Paulo

Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Embraer firmaram uma parceria para viabilizar o processamento de 40 mil testes de diagnóstico de COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus) a serem realizados nas regiões de São José dos Campos, Araraquara e Botucatu, no interior de São Paulo, como forma de apoio às comunidades onde a companhia está presente.

A iniciativa foi construída após tratativas da empresa com a Pró-Reitoria de Pesquisa (Prope). A rede de laboratórios da universidade conectada para trabalhar de forma conjunta, por meio da coordenação do Comitê Científico formado em resposta à pandemia, foi decisiva para que a doação da Embraer se materializasse de forma rápida, com a interveniência da Fundação para o Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp).

O aumento na realização de testes para diagnóstico da Covid-19 na população é considerado pelas autoridades de saúde a medida mais importante para orientar a adoção de políticas públicas adequadas para conter o espalhamento da pandemia e proteger as pessoas, ajudando a dimensionar aquelas já em andamento, como o distanciamento social.

Conforme o protocolo das autoridades de saúde, o material coletado será enviado para as unidades da Unesp dedicadas ao processamento da metodologia RT-qPCR (teste molecular), exame considerado padrão-ouro para o diagnóstico do novo coronavírus. A expectativa é que o resultado saia em até 16 horas após o recebimento das amostras pelo laboratório.

Doação

As três regiões do Estado de São Paulo no escopo do acordo têm unidades da Embraer e campus da Unesp –a empresa está presente em São José dos Campos, Botucatu e Gavião Peixoto, na região de Araraquara. Pelos termos firmados, a companhia realizará uma doação financeira, no valor de aproximadamente R$ 4 milhões, para coleta de amostras, transporte e execução das análises de diagnóstico.

"No combate à pandemia, o diagnóstico preciso e rápido é um dos elementos mais importantes, em especial para o tratamento correto do paciente. A Embraer, imbuída de seu papel social, nos procurou para poder contribuir com o financiamento de 40 mil diagnósticos. No momento em que o número de casos da COVID-19 cresce, em especial no interior paulista, nós poderemos fornecer uma informação valiosa para as prefeituras das cidades dessas regiões envolvidas", diz o pró-reitor de Pesquisa da Unesp, professor Carlos Graeff, ao Portal da Unesp.

"Os desafios são grandes, em especial pela dificuldade de compra dos insumos necessários para os exames. As prefeituras estão colaborando nesta iniciativa, em especial na etapa de coleta e transporte dos exames para os nossos laboratórios. Portanto, estamos formando uma rede solidária envolvendo a iniciativa privada, sociedade civil e Universidade para combater a pandemia", afirma o docente.

Força-tarefa

Em razão da situação de emergência em saúde pública, o acordo prevê um prazo de até seis meses para a realização dos 40 mil testes. De acordo com o pesquisador João Pessoa Araújo Junior, professor do Instituto de Biociências da Unesp, no campus Botucatu, a parceria com a Embraer permitirá a automatização da etapa inicial do processamento dos testes moleculares em alguns laboratórios da instituição, o que deve aumentar a capacidade de prestar esse serviço dentro da universidade.

"A primeira etapa do teste [dentro do laboratório] é a extração e purificação do RNA viral. Essa é uma das etapas mais demoradas do processo. Os equipamentos que já existem serão utilizados e, além disso, a parceria vai trazer a oportunidade de capacitar laboratórios da Unesp para maior escala com a aquisição de robôs de extração", explica ao Portal da Unesp o docente, que integra o Comitê Científico da Unesp e é o responsável pelo laboratório de virologia e diagnóstico molecular do Instituto de Biotecnologia (IBTEC), no campus de Botucatu.

De acordo com João Pessoa Araújo Junior, ao longo das tratativas para a assinatura do acordo, a Unesp também liderou a montagem de uma força-tarefa para cuidar da logística para o transporte dos exames e já adiantou a compra de reagentes, insumos e outros materiais. "O aumento no número de diagnósticos pode nos dar a real visibilidade do que está acontecendo na população. A partir da testagem, medidas de controle [da pandemia] podem ser refinadas", afirma.

O acordo prevê que uma reserva técnica de até 20% das análises será dedicada, se necessário, aos colaboradores da Embraer que apresentarem eventualmente um quadro clínico indicado para o teste, conforme o protocolo.

"O objetivo da iniciativa voluntária é unir esforços para ajudar a acelerar o diagnóstico de pacientes com sintomas compatíveis com a doença, nesse  momento de crise de saúde pública", informou, por meio de comunicado, a empresa, que frisa estar realizando "iniciativas voluntárias de combate à pandemia e aos efeitos da COVID-19".

Precisão

Presidente da Fundunesp, fundação de apoio à Unesp que intermediou o acordo entre a empresa e a Universidade, o professor Édson Luiz Furtado também alerta para a importância de diagnósticos precisos e rápidos.

"Diante da emergência e urgência que a situação de calamidade exige, já iniciamos as compras dos insumos e contratação do pessoal para possibilitar que as equipes possam estar aptas para iniciarem o mais rápido possível suas atividades", destaca Furtado ao Portal da Unesp. "A Fundunesp foi escolhida por ser uma fundação de apoio da universidade com tradição em projetos de grande porte, inclusive os já efetuados com a própria Embraer", finaliza.